Friday, August 07, 2009

Sobre o caminho do meio

Um amigo apareceu nos comentários e falou do "caminho do meio". Não acho que ser considerado "radical" seja demérito. São os radicais que levam a arte a um outro patamar, são os radicais que forçam os limites e aprimoram o que já existe. Mas, vamos supor que a virtude esteja mesmo no meio e refletir sobre a política nacional. Quem disputa o poder no Brasil? O PSDB e o PT, ou seja, um partido de esquerda moderado e um partido de esquerda com correntes moderadas e radicais. A discussão, como se vê, está restrita entre variações do socialismo e quem aparece falando em liberalismo é logo tachado pejorativamente como "radical", como alguém "saudoso da guerra fria". Ora, se a pessoa realmente acredita no caminho do meio, ela vai perceber que a balança do debate político brasileiro está pendendo radicalmente pra um lado da balança, que não está havendo uma antítese pra contrabalançar a tese hegemônica e assim se formar uma síntese. A mentalidade dominante não está no meio, está enviesada pra esquerda. Então se a virtude está mesmo no meio (e eu não acredito que esteja), há um déficit óbvio de liberalismo no debate político nacional. A não ser que a pessoa esteja falando do "caminho do meio" entre uma única ideologia que ela considera aceitável, desqualificando de antemão qualquer oposição.

4 comments:

Luiz Felipe said...

I would remind you that extremism in the defense of liberty is no vice! And let me remind you also that moderation in the pursuit of justice is no virtue!

sol-moras-segabinaze said...

Barry Goldwater.

Anonymous said...

Queridos, eu diria que a virtude está no meio, porém com duplo sentido, o que seria lamentável num debate deste nível. Rodrigo

sol-moras-segabinaze said...

hehehe