Friday, December 26, 2008

Wednesday, December 24, 2008

93

O pessoal do PT que vivia condenando o "consumismo" agora pede que as pessoas "não parem de consumir".

92

Yeah, I'm part of the problem. A solução é simples: me elevo à quinta potência, subtraio o bom senso e voilá, um acidente esperando pra acontecer. O quadro-negro então cai na cabeça, mas o homem sobrevive.

Monday, December 22, 2008

O que o capitalismo não é

"O capitalismo não é exclusivamente "capitalista". A acumulação de capital é um fato existente em qualquer sociedade, independentemente de sua estrutura política e econômica. Max Weber já dizia em A ética protestante e o espírito do capitalismo que "a ganância pelo ouro é tão antiga quanto a história do homem". E que onde o capitalismo era mais atrasado encontrava-se "o reino universal da absoluta falta de escrúpulos na busca dos próprios interesses por meio do enriquecimento". No entanto, as pessoas ainda encaram o capitalismo como um ordenamento moral, um modo de vida em que a acumulação de riqueza é o bem superior. Mas a defesa do capitalismo não significa a defesa de um homo economicus, cuja única preocupação na vida é ganhar dinheiro. Há muitas coisas mais importantes do que a acumulação de capital, como a família, a religião, a arte e a cultura. E isso realça a importância da economia de mercado. É verdade que no livre mercado há mais oportunidade para aquele que pretende enriquecer, mas nele o filósofo também tem mais oportunidade de aprender e o artista tem mais oportunidade de se expressar. E é por meio do livre mercado que o filantropo, a pessoa que deseja ajudar o próximo, dispõe de mais recursos para fazer assistência social, pois, através do sistema de preços livres, pode utilizar seus recursos de forma mais eficiente."- Diogo Costa (http://www.ordemlivre.org/node/447).

Friday, December 19, 2008

Godspeed You! Black Emperor - East Hastings

Por que o estado cresce? (E o que podemos fazer quanto a isso)

"Para nós libertários, que compartilhamos da mesma crença de Lord Acton, a maior virtude política é a liberdade. A nossa visão é a de que a sociedade voluntária, em termos práticos e morais, é a melhor forma de sociedade possível, ao passo que o estado não passa de uma gangue de ladrões em larga escala. O estado pode fazer as mesmas coisas que, se feitas por indivíduos, seriam corretamente consideradas ilegais e criminosas. Só ele é capaz de fazê-las de forma a aparentar que é pelo bem comum e pelo interesse nacional (você sabe, todas aquelas expressões que as escolas públicas e a mídia nos ensinaram). Em uma definição resumida, para nós libertários o estado não está acima das leis morais. O que é errado para um indivíduo em sua vida privada também é errado para o estado em toda a sua esfera. É errado roubar, mas o estado faz isso e chama de 'inflação' ou de 'tributação'; é errado escravizar, mas o estado faz isso e chama de 'serviço militar obrigatório'; é errado matar, mas o estado faz isso e chama de 'erro policial' ou de 'serviço de saúde inadequado' - ou, em caso de homicídio em massa, de 'guerra'. O roubo, a escravidão e o homicídio são coisas imorais, sejam eles privados ou públicos. Difundir as idéias da liberdade, do livre mercado e de uma moeda forte, e denunciar, agitar e trabalhar contra os criminosos, é a nossa única chance de ter êxito. Os obstáculos são, obviamente, imensos. Mas temos um mundo a ganhar." - Lew Rockwell (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=210).

Thursday, December 18, 2008

91

Por exemplo, essa passagem: "Não que as coisas estejam caminhando pro melhor dos mundos, porque agora o novo deus atende pelo nome de estado." Por mais que eu questione o estado e a igreja, me parece óbvio que, apesar de tudo, as coisas melhoram e as pessoas têm mais liberdade. Sorry Jesus, mas esse é um processo contínuo em que a crítica desempenha um papel importante.

Wednesday, December 17, 2008

90

Os textos estão em constante evolução. "Deus" virou uma coisa totalmente diferente de uma hora pra outra. Um clima dinâmico, cheio de bossa, comando do Garotinho.

Deus 4

O que é o terrorismo islâmico senão uma guerra religiosa? [CHOOSE YOUR SIDE, MOTHERFUCKER! PERDÃO PELO LINGUAJAR, SENHOR!] Os suicidas estão convictos de que Alá reserva a eles várias virgens após a morte, contanto que levem junto vários "infiéis". [EU CONCORDO COM O QUE O MEU LÍDER DIZ!] Aliás, como são misóginas as tais religiões abraâmicas! [MENTIRA!] E lá vão as mulheres com seus terços e véus perpetuando esse estado de coisas. [SEGUIR AS ORIENTAÇÕES DO SENHOR É UMA DÁDIVA!] E eu vou lá obrigar ou proibir alguém de alguma coisa? [COLOQUE-SE NO SEU LUGAR, HEREGE!] O problema é quando esses dogmas assumem efeito na lei e forçam os outros a entrar no jogo religioso. [O "JOGO RELIGIOSO" TEM APENAS UMA REGRA: AMAR DEUS ACIMA DE TODAS AS COISAS!] Alguns liberais-conservadores falam da influência judaico-cristã na construção da civilização ocidental. [ESTÃO COM A RAZÃO!] Pode ser. [CLARO!] Mas um código moral não precisa ser necessariamente oriundo da religião. [SENHOR, PERDOAI ESSE PECADOR!] Matar e roubar é errado aqui, nos EUA ou na Conchinchina. [ELE NÃO SABE O QUE DIZ!] Os "10 mandamentos" poderiam ser bem resumidos, como demonstrou o George Carlin (http://www.youtube.com/watch?v=CF1-IS0yDCs). [MAIS ATEÍSMO MILITANTE!] As religiões foram criadas pra controlar povos primitivos e a tendência é que elas percam cada vez mais influência. [COPIAR A FRASE DOS OUTROS SEM DAR CRÉDITO É PECADO!] Não que as coisas estejam caminhando pro melhor dos mundos, porque agora o novo deus atende pelo nome de estado. [LAVE A SUA BOCA IMUNDA ANTES DE FALAR DO NOSSO SENHOR!]

Deus 3

"Ora, seu merdinha, vá ler São Tomás de Aquino e Santo Agostinho!" [E OS ESCOLÁSTICOS!] Já li alguma coisa e me surpreende ver pessoas inteligentes achando que alguns truques retóricos explicariam algo tão inverossímel. [QUE ARROGÂNCIA!] "Alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias". [SAGAN FOI PRO INFERNO!] Teologia? [SIM!] É como ler conto de fadas, science fiction. [RESPEITO!] Não quero ofender ninguém, but that's crazy talk, man! [YOU ARE GOING TO HELL!] Que isso tudo responda a algum anseio, uma necessidade de explicação pro inexplicável, vá lá, mas chegam a ser meio engraçadas (e trágicas) essas tradições e liturgias impostas desde a infância. [TENHO PENA DE VOCÊ!] A criança vê as pessoas que mais admira dizendo "deus isso, deus aquilo" e dificilmente escapa de reproduzir esse discurso pelo resto da vida. [SÃO TODAS CRIANÇAS DE DEUS!] Alguns escapam, provavelmente pra depois arder no fogo dos infernos pela eternidade! (haha!) [QUEM RI POR ÚLTIMO RI MELHOR!] Mas a coisa é séria, porque existem diversas religiões, cada uma clamando ser a única verdadeira, a única realmente com a procuração do tal deus pra espalhar a palavra e a verdade através de seus representantes humanos. [ENVIADOS DE DEUS!] Seria uma piada caso não tivesse resultados tão violentos. [PIADA? DEUS VAI JOGAR UM RAIO EM SUA CABEÇA!]

Deus 2

Caramba, isso não faz sentido. [A MAIORIA DAS PESSOAS POR ACASO É BURRA?] Ninguém fica me vigiando o tempo inteiro, a não ser a minha consciência. [DEIXE JESUS TE SALVAR!] Que negócio é esse de virgem engravidada pelo Espírito Santo? [IN VITRO TELEPÁTICO!] E por que diacho eu grafo esses nomes com maiúscula? [RESPEITO AO SENHOR!] Milagres? [OPEROU VÁRIOS!] Nem precisa do James Randi pra perceber as loucuras inventadas pela Bíblia. [RANDI É UM HEREGE DE LONGAS SOBRANCELHAS!] Aliás, depois de ler um pouquinho do livro, você percebe que qualquer ato pode ser justificado ali. [LEU A BÍBLIA EM QUADRINHOS?] Como diferenciar os atos bons dos ruins? [VÁ SE CONFESSAR QUE O PADRE PODE TE AJUDAR!] Por que pessoas que eu respeito crêem nessas maluquices? [MALUCO É QUEM ME DIZ!] Deve haver um simbolismo etéreo por trás disso, não é possível, a razão não é o suficiente pra explicar. [E NÃO É MESMO!] Mas se a razão não explica, entra-se no terreno da irracionalidade e aí mesmo é que eu fico perdido. [CÊ TÁ PERDIDO DESDE QUE NASCEU!] Se eu digo que a fé é irracional, o crente cai de pau em mim. [OLHA ESSE LINGUAJAR PORNOGRÁFICO!] A minha "crença" na razão deve estar me privando de algo extraordinário [YOU HAVE NOOO IDEA!]. Por que eu não fui bafejado pelo chamado divino? [SÓ SENTI O SEU BAFO DE CACHAÇA!] Sou um aleijado espiritual? [É!] "Espírito" e "alma" existem? [OBVIAMENTE! OU VOCÊ ACHA QUE É FEITO SÓ DE CARNE E OSSO?] Acho que não. [POIS ENTÃO!] Mas como explicar esse planetinha no meio do nada e cheio de vida? [DEUS!] Não se explica completamente e imagino que esse seja um dos motivos da popularidade da religião, as lacunas do nosso conhecimento sobre nós mesmos. [QUE FANFARRÃO!]

Deus

Você nasce e é aquela confusão. [UMA BÊNÇÃO!] Que diabos está acontecendo? [O MILAGRE DA VIDA!] Quem são essas pessoas? [FILHOS DE DEUS!] Se você der sorte, elas te tratam bem e rola uma sensação de segurança, that's nice. [ANTES EM LATIM DO QUE EM INGLÊS!] Então quando você começa a entender o significado das coisas e das palavras, nota que elas evocam muito um tal de "Deus", em maiúscula, pra impor ainda mais respeito por algo que você não sabe bem o que é, mas que parece ser o início, o meio e o fim de tudo o que existe. [É VERDADE!] Essa abstração aparentemente vigia todos os seus passos - podendo puní-lo com a danação eterna em caso de desobediência ou premiá-lo em caso de obediência - e engravidou uma virgem há 2 mil anos dando luz a um ser-humano-divino que saiu por aí fazendo milagres e foi morto pelos poderosos da época, ressuscitando um pouco depois pra alguns poucos privilegiados. [CONTENHA O SEU DEBOCHE!] Sua história está contada num livro, sagrado pra alguns e contraditório pra outros, que é o maior best-seller da humanidade. [ALELUIA, SENHOR!] Toda essa fantástica história suscita em você diversas dúvidas: será que isso é verdade? [É!] Como é que eu nunca presenciei nenhum milagre? [ABRA O SEU CORAÇÃO PARA JESUS!] Por que essas pessoas crêem tão apaixonadamente nisso? [FÉ!] E por que somente uma minoria questiona toda essa maluquice? [QUE A GLÓRIA DO SENHOR ILUMINE O SEU CORAÇÃO!]

Thursday, December 11, 2008

89

Concorrência? GOOOOD. Privilégio? BAAAD. Repeat after me: Concorrência? GOOOOD. Privilégio? BAAAD.

Tuesday, December 09, 2008

88

Sim, a minha opinião é de suma importância pra Humanidade. Não sei o que estão esperando pra me darem logo o poder total ou, no mínimo, a presidência da ONU. Como alguém isento de falhas e contradições, peço o seu voto pra continuar em escala mundial esse bonito trabalho em prol do Bem e da Verdade. I'm not kidding, that's the real deal, man! Se não me derem um único voto, volto com a cabeça erguida e a certeza do dever cumprido.

87

Meio sério e meio de sacanagem. É o equilibrio. Balance em inglês. Balancê em braguinhês. Quero dançar com você. O show do Radiohead é uma. Mas vai ficar cheião, o balancê vai ser restrito. A não ser no fundão, onde parece ser o maior agito.

O êxito do caminho do meio

Argumentar em cima de absolutos é divertido e testa a lógica, mas fica a impressão de se estar num mundo distante do cinzento cotidiano diário do dia-a-dia. Nem tão fatalista e nem tão idealista, eis o "caminho do meio". Pois acho que o alcançamos. A taxação atinge quase a metade da renda. Existe relativa liberdade de expressão, de ir e vir, de se associar e de se fazer o que se quer com o próprio corpo. Relativa, na medida em que a legislação coloca diversos senões nessas práticas com o intuito de nos proteger de nós mesmos. Mas não se vive num regime totalitário ou laissez faire, isso se deve reconhecer. Metade da mão de obra está na informalidade ou desempregada, numa demonstração cabal da vitória da média. Enquanto socialistas e liberais discutem pelos bares e fóruns da vida, o "meio-caminhismo" vai colecionando vitórias; ele, o cinza que satisfaz.

Tô certo ou tô errado 2?

Tá errado, obviamente. [really?] A política não se deixa levar por purismos de qualquer ordem. [ok] Política é a arte de resolver dissensões dando 1 passo pra trás pra depois dar 2 pra frente. [sei...] É o terreno do pragmatismo que ignora as ideologias e as quimeras adolescentes. [a causa da liberdade é uma "quimera adolescente"?] A acomodação dos interesses pra que a ordem impere. [ordem? você já saiu nas ruas do rio de janeiro?] Rupturas radicais não funcionaram, não funcionam e não funcionarão jamais. [quem aqui falou em "ruptura radical"?] Um mundo sem o uso da força preventiva que orienta as legislações seria a volta à barbárie, à lei do mais forte. [bullshit, man! quem usar de força está errado, seja aqui, na conchinchina ou na abstração libertária] Conforme-se ou se prepare pra viver uma existência de privação e solidão. [veremos]

Tô certo ou tô errado?

Libertários têm, por definição, problemas com a autoridade instituída de cima pra baixo. É bom que seja assim e, a não ser que essa autoridade seja reconhecida de maneira espontânea e natural, é uma abominação nascer e ter que obedecer "porque sim". Não estou falando especificamente da relação entre pais e filhos, onde a conformidade com certas regras a partir de uma certa idade não deixa de ser voluntária. O ideal, prum libertário, é que não existam leis que proíbam ou imponham comportamentos, sendo o limite de suas ações os direitos (vida, liberdade e propriedade) dos demais. Todo o entulho autoritário, venha com o discurso do "bem comum" que vier, deve ser abolido e enterrado.

Monday, December 08, 2008

O bicho vai pegar

Bater no nazismo não faz diferença. Ninguém - a não ser poucos grupelhos - ousa defender essa maluquice. Já o comunismo-socialismo é tão perigoso quanto e passeia por aí como uma alternativa não só respeitável como desejável à economia de mercado. Tem que ser desmoralizado como o totalitarismo cruel que foi, é e, se derem mole, pode voltar a ser. Lógico que os comunas aprenderam a usar a democracia pra ir minando aos poucos as liberdades individuais e não usam mais as táticas leninistas de revolução sangrenta. A coisa agora é gradual, no automatismo que postulados marxistas são usados na cultura e encontram eco em legislações que colocam o estado como o começo, o meio e o fim de tudo. Um fascismo benevolente (qual não se diz "benevolente"?) que deixa um espacinho pra liberdade econômica financiar a centralização de poder. As pessoas trabalham quase metade do ano pra sustentar o leviatã e os seus projetos de mediocrização geral sob a eficiente chantagem emocional da "justiça social". Mas a crise vem aí e os ventos da economia mundial não vão mais favorecer esse estado de coisas.

Quem é você para questionar Oscar Niemeyer?

Sobre Fidel e o paredón: "Logo que me perguntaram sobre isso, não precisei analisar nada, eu sabia que, se ele tinha providenciado esse fuzilamento é porque era importante. [vejam só que independência intelectual...] E pronto. [fogo neles!] Me manifestei logo favorável. [lógico que sim] É um assunto que não discuto. [falou "o brasileiro do século", segundo a revista de domingo] Acho que o importante é sermos honestos conosco mesmos. [claro...] Então, eu reagi assim. [como um monstro totalitário?] Estou de acordo com ele. [nenhuma dúvida] Continuo. [até a morte] A revolução é importante para ele, é importante pro povo cubano. [é importante pro povo cubano estar encarcerado pra satisfazer a patologia de uns e outros?] Acho o Fidel fantástico. [fale isso pros milhares de fuzilados que ousaram discordar dele] Acho que é o líder da América Latina. [cada subcontinente tem mesmo o líder que merece]” Sobre Stalin: “O Stalin, quando mandou fuzilar os generais russos é porque era preciso; eles eram coniventes com os alemães. [nazismo ou comunismo, o que era pior? à primeira vista a resposta parece óbvia, mas o comunismo matou mais e ainda tem defensores por aí] Stalin foi uma figura fantástica. [fantástico é alguém falar isso e ainda ser idolatrado como uma reserva moral de um país] É só você imaginar que, quando os alemães estavam dentro de Stalingrado a palavra de ordem dele foi: pra Berlim! É fantástico... [realmente fantástico...]

Friday, December 05, 2008

Falando grego

Várias pessoas ficam denunciando o cartel de bancos privados que é o FED, criado em conluio com o governo pra proteger os seus interesses e manipular a moeda, uma fonte crucial de poder. Não é uma teoria da conspiração, é um fato confirmado, entre outras coisas, pelo recente resgate do governo americano ("contribuintes") a algumas dessas instituições sob a alegação de um "risco sistêmico". Pois bem, a maioria lê coisas desse tipo e apreendem o seguinte: Βήμα δυστυχής εργάστηκε ως έξι. Σαν σε θέμα μέχρι εικόνες, πες κι τύπους συγγραφής δοκιμάσεις. Πες μέση γεύματος χρειάζονται το, το για' νέες αυτήν δημιουργίες, ώρα πετάξαμε δημιουργείς αν. Uma que as pessoas don't give a damn! Outra que as coisas, mesmo com um assunto tão sério envolto em tanto mistério, melhoram. Ou não parece óbvio que o padrão de vida melhorou desde o início do século 20? As previsões de esfacelamento do dólar batem sempre nessa tecla, mas apenas uma minoria parece estar realmente interessada. Talvez essa minoria seja LOOOUUUUCAAAA!

Thursday, December 04, 2008

Gramscismo invertido

Não vejo grandes problemas quando estatistas em geral vêm dizer que os liberais são marxistas "com o sinal invertido". O marxismo não precisa ser consciente pra ter a hegemonia da mentalidade. A maioria das pessoas usa vulgatas classistas sem perceber, confundindo ideologia com "bom senso". Isso acontece quando essa visão de mundo atinge o seu objetivo e se estabelece no coração das pessoas, mesmo que isso vá contra as suas intuições e experiências pessoais. Não é à toa que Gramsci e o seu Moderno Príncipe (no caso brasileiro, o PT) são tão influentes. Maquiavelismo puro. No dia em que as pessoas aplicarem as teorias liberais numa conversa de bar sem causar espanto ou indignação, é sinal de que o Brasil está prestes a passar de um país subdesenvolvido a desenvolvido.

Sigur Rós 3 New Songs at MoMA

Wednesday, December 03, 2008

86



Matando o tempo ou killing time? Vamos prestigiar o português agora se escreve "portugues"? Não é nenhuma piada de português ou portugues, é só uma dúvida.

Em cartaz

Então o que esses caras tipo Peter Schiff e Jim Rogers estão dizendo? Que se o governo americano continuar inflacionando a moeda e se endividando, o dólar vai perder o seu valor e deixar de ser a moeda internacional. Que se o governo continuar manipulando os juros e salvando empresas ineficientes, a farra do crédito vai acabar levando o país à bancarrota, da mesma maneira que o Império Romano séculos atrás desmoronou numa montanha de déficits. Pode soar como um catastrofismo brabo, e os economistas do mainstream certamente tratam do assunto com desdém, como quem imagina que isso está longe de acontecer. Não sei. O fato é que a receita "austríaca" pra se sair da crise segue o bom senso: os americanos devem parar de consumir desbragadamente e começar a produzir e a poupar. It makes perfect sense to me. Mas não é o que pensam os atuais e os futuros donos do poder. We'll see.

Why Does It Always Rain On Me?

O que eu ganho defendendo o mercado? [deve estar a soldo de Wall Street...] Pessoalmente, muito pouco, pelo menos por enquanto. [haha!] Mas como alguém que desde sempre se interessou pela percepção que as pessoas têm das coisas, me soa quase como um dever externar a minha opinião. [ninguém pediu a sua "opinião", mas tudo bem...] Primeiro porque eu estudo pra caramba esses assuntos. [deixe de ler esses sites de merda e vá estudar direito constitucional, seu demente!] E segundo porque há uma distância enorme entre o que a minha intuição e as minhas leituras dizem e aquilo que é considerado como sendo o "senso comum". [já te passou pela cabeça que você pode estar simplesmente errado?] O mercado não age e nem tem uma agenda. [tem sim, a acumulação do lucro e a exploração do povo] Ele é amoral, o processo onde são realizadas trocas pros indivíduos atingirem os seus objetivos. ["amoral" my ass!] Quem age premeditadamente, tem uma agenda e distorce esse processo são os governantes. [mais um clichê revoltadinho!] Culpar o mercado pelos problemas econômicos é o mesmo que culpar a chuva pelo bueiro entupido. [ficou todo ensopado hoje, mané?!]

Tuesday, December 02, 2008

Quem pode ser contra "o povo"?

Tava lendo uma entrevista antiga do Dalai Lama na Rolling Stone e lá pelas tantas o repórter perguntou o que ele achava do comunismo. O Lama então respondeu que o ideal da igualdade conseguida à força nunca funcionou e que a caridade devia ser voluntária, "partindo dos ricos para com as suas comunidades, pois é do interesse deles que os mais pobres também tenham uma boa qualidade de vida". Sim, relações voluntárias que não passam por um ente que concentre poder e a esperança de todos, a fórmula clássica do desastre populista. Com o estado tomando a frente desse processo, a verdadeira solidariedade fica desestimulada ante os inúmeros impostos que se perdem na corrupção e na burocracia antes de chegar ao seu suposto beneficiário: "o povo", essa abstração que serve de chantagem emocional pra locupletação dos insiders demagógicos com o aval dos bem intencionados em geral.

85

É, fica botando videozinho pra parecer moderninho, in, cult... Não é o que você é de fato, é o que você quer que os outros pensem que você é. Tsc, tsc, tsc. Do que adianta isso se ninguém dá a menor bola? What a sickening display... Vá fazer algo de útil na vida! Pense na realidade. Seu ego vai cobrar um preço, pode esperar.

Thom Yorke DJ

As corporações contra o mercado

"As corporações tendem a temer a competição, pois ela exerce uma pressão para que os preços caiam e os salários aumentem; além disso, o sucesso de mercado chega sem qualquer garantia em relação à sua permanência, já que depende da capacidade da empresa de superar suas concorrentes na busca da melhor forma de satisfazer as voláteis preferências dos consumidores – e esse tipo de vulnerabilidade às perdas não é nada agradável. Assim, não nos surpreende que durante toda história dos Estados Unidos as corporações tenham sido predominantemente hostis ao livre mercado. Na realidade, a maior parte do aparato regulatório existente – inclusive as regulamentações vistas, incorretamente, como restrições ao poder corporativo – foi efusivamente apoiada, propagandeada e, em alguns casos, até mesmo preparada pela elite corporativa" - Roderick Long (http://www.ordemlivre.org/node/429).

Monday, December 01, 2008

A ética e a economia da propriedade privada

"Devido ao amplo e generalizado relativismo moral que nos cerca, é válido apontar que essa idéia da apropriação original e da propriedade privada como solução para o problema da ordem social está de completo acordo com a nossa "intuição moral". Não seria simplesmente absurdo alegar que uma pessoa não deveria ser a proprietária de seu próprio corpo e dos lugares e bens que ela originalmente - isto é, antes de qualquer outra - apropria, utiliza e/ou produz fazendo uso de seu próprio corpo? Quem mais, senão essa pessoa, deveria ser o proprietário deles? Não parece ser óbvio, também, que a esmagadora maioria das pessoas - inclusive crianças e primitivos - de fato agem de acordo com essas regras, e o fazem como sendo algo natural, óbvio e rotineiro?" - Hans-Hermann Hoppe (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=200).

Friday, November 28, 2008

84

"O erro do pessimismo é o primeiro passo abaixo na ladeira escorregadia que leva ao Conservadorismo; e consequentemente era muito fácil para o radical pessimista Nock, mesmo ainda basicamente um libertário, aceitar o rótulo conservador e até resmungar a superficialidade que existe numa presunção a priori contra qualquer mudança social." Essa parte ficou confusa. [confusa é a sua cabeça]

O problema do pessimismo

"Isso porque sempre houve uma grave falha na brilhante e bem-afiada doutrina libertária martelada em suas diferentes visões por Nock e Mencken; ambos adotaram o grande erro do pessimismo. Ambos não viam esperança na raça humana adotar algum dia o sistema da liberdade; sem esperanças de que a radical doutrina da liberdade fosse algum dia aplicada na prática, cada um à sua maneira pessoal se eximiu da responsabilidade de liderança ideológica, Mencken de maneira feliz e hedonista, Nock de maneira arrogante e secreta. Apesar da contribuição maciça de ambos à causa da liberdade, dessa forma, nenhum poderia nunca se tornar o líder consciente de um movimento libertário: como ambos não podiam ver o partido da liberdade como o partido da esperança, o partido da revolução, ou a fortiori, o partido do messianismo secular. O erro do pessimismo é o primeiro passo abaixo na ladeira escorregadia que leva ao Conservadorismo; e consequentemente era muito fácil para o radical pessimista Nock, mesmo ainda basicamente um libertário, aceitar o rótulo conservador e até resmungar a superficialidade que existe numa presunção a priori contra qualquer mudança social." - Murray Rothbard em "Esquerda e Direita - Perspectativas Para a Liberdade" (http://www.libertarianismo.com/index.php?option=com_docman&task=cat_view&gid=26&Itemid=48).

Thursday, November 27, 2008

Jim Rogers: Let Banks Fail

A mídia e a crise

Leio que o governo dos EUA vai "injetar não sei quantos trilhões de dólares na economia", ou que a União Européia também vai fazer algo do tipo "pra aquecer o crédito". Os jornalões parecem nunca questionar tais medidas, intoxicados que estão com as teses keynesianas que dominam o mainstream. Quando o cara do Tesouro americano diz que vai dar bilhões pra esse ou aquele, na verdade está dizendo que vai criar esse dinheiro do nada, hipotecando o consumo futuro de todos em benefício do consumo presente de alguns. Ou seja, está contraindo dívidas e inflacionando a moeda pra manter uma economia comprovadamente ineficiente às custas dos "contribuintes". O que me espanta não são os governos lançarem mão desses artifícios pra saírem bem na foto (políticos focam no curto prazo, ao contrário do que se diz), mas sim o apoio dos jornalistas que compram essas idéias sem ao menos darem um pio. O "sistema" parece uma bem azeitada máquina de enganar trouxas, com o estado e a grande mídia unidos num só coração pra deixar tudo como está.

Ué, cadê o tal otimismo?

Sou um otimista. Não exagerado, na medida em que tanto o pessimismo quanto o otimismo exagerados são posturas irracionais. Mas creio que, aos trancos e barrancos, o mundo vem melhorando. Isso não é o mesmo que dizer que, no matter what people do or think, as coisas evoluam. Ter abundância ao invés de escassez é resultado de políticas, que são conseqüências de escolhas. Escolhas dependem da vontade, que depende da mentalidade. Se a mentalidade vigente aponta um caminho que gera escassez, mesmo que a intenção declarada fosse produzir abundância, não é surpresa quando a escassez acontece. Políticas socialistas geram escassez, apesar de diminuírem a desigualdade nivelando todos por baixo. Políticas liberais não combatem a desigualdade, mas geram abundância, beneficiando a todos. O Brasil do PT nivela por baixo, cultua a mediocridade e tem hojerizah à livre-iniciativa. Um vitimismo institucionalizado que gera racismo e classismo, estimulando o conflito ao invés da cooperação. Isso é o resultado "bem sucedido" de décadas de uma doutrinação que misturou o marxismo e o catolicismo com um estatismo patrimonialista onde todos parecem querer um naco da pilhagem governamental. É triste, mas o Rio de Janeiro está mais pobre, as favelas crescem, as ruas estão sujas, os mendigos e pivetes proliferam e os concursos públicos parecem ser a única luz no fim do túnel do desemprego e da informalidade. Dá desânimo perceber que, mesmo assim, as pessoas continuam tacando álcool nesse incêndio. Fica aqui o meu desabafo.

Booooring

Pessoas se dizem contra o individualismo sem se darem conta de como seriam as suas vidas sob um coletivismo brabo. [se muda logo pra uma ilha deserta, mané!] Se você não tem o controle da sua vida, você é um escravo. [sim, sua vida é uma concessão do estado] Se você depende do consentimento dos outros pra fazer isso ou aquilo, você é um escravo. [você não é um escravo, é só um autista] Se você está preso num "contrato social" que não assinou, você é um escravo. [páre de falar merda ou vou chamar o seu feitor!] Como o coletivismo atual é brando e a maioria imagina estar sendo beneficiada de alguma maneira, o status quo não é questionado. [se eu ganhasse 1 real a cada vez que você escreve status quo...] O estado acaba se legitimando ao atender as demandas dos grupos de interesse que beneficiam uns em detrimento de outros. [tira a bunda da cadeira e vai reivindicar então o seu quinhão, bobalhão!] Quem sempre sai perdendo é a liberdade individual, o antídoto contra qualquer tipo de coletivismo. [so fucking naive!]

Wednesday, November 26, 2008

Cynicism is soooo last week

Sensacional o novo do Woody Allen, como nunca deixa de ser. [whatever...] Tudo é bonito, estético, a civilização realmente dá as caras por ali. [whatever dude...] Nenhum diálogo é desperdiçado. [whatever dude, we're...] As pessoas soam reais, não fazem parte de um manual politicamente correto. [whatever dude, we're all...] O proselitismo é o da busca pelo amor que te completa e incompleta, que te liberta e aprisiona. [whatever dude, we're all gonna...] Da insatisfação eterna enquanto dura. [whatever dude, we're all gonna die]

Tuesday, November 25, 2008

This Thanksgiving, Don't Say Grace, Say Justice

"Justice is the virtue of judging people rationally - according to what they say, do, and produce - and treating them accordingly, granting to each man that which he deserves. If someone spends the day preparing a wonderful meal, justice demands that he, not God, be thanked for doing so. If someone provides his family with a warm, safe, comfortable home, justice demands that he, not God, be thanked for providing it. If a policeman or fireman or doctor saves someone's life, justice demands that he, not God, be thanked. If a loving spouse or child or parent or friend provides you with great joy, justice demands that he, not God, be acknowledged accordingly. If a philosopher discovers the principles on which freedom depends - and if others put those principles into practice - justice demands that they, not God, be given credit." - Craig Biddle (http://www.capmag.com/article.asp?ID=5062).

Monday, November 24, 2008

O coletivismo

"Comrades! We must abolish the cult of the individual decisively, once and for all." -- Soviet Premier Nikita S. Khrushchev, addressing the 20th Congress of the Soviet Communist Party, 2-25-56 "The unity of a nation's spirit and will are worth far more than the freedom of the spirit and will of an individual; and that the higher interests involved in the life of the whole must here set the limits and lay down the duties of the interests of the individual." -- Adolph Hitler "We need to stop worrying about the rights of the individual and start worrying about what is best for society." -- Hillary Clinton "To be a socialist is to submit the I to the thou; socialism is sacrificing the individual to the whole." -- Joseph Goebbels, Minister of Propaganda, National Socialist German Workers' ("Nazi") Party "...we understand only the individual's capacity to make sacrifices for the community, for his fellow men." -- Adolf Hitler, 10-7-33 (http://freedomkeys.com/collectivism.htm).

Friday, November 21, 2008

Sobre o racismo

"When men began to be indoctrinated once more with the notion that the individual possesses no rights, that supremacy, moral authority and unlimited power belong to the group, and that a man has no significance outside his group -- the inevitable consequence was that men began to gravitate toward some group or another, in self-protection, in bewilderment and in subconscious terror. The simplest collective to join, the easiest one to identify -- particularly for people of limited intellligence -- the least demanding form of "belonging" and of "togetherness" is race". - Ayn Rand (http://freedomkeys.com/ar-racism.htm).

Quem é você para questionar Jorge Amado?

“Vós sabeis, amigos, o ódio que eles têm - os homens de dinheiro, os donos da vida, os opressores dos povos, os exploradores do trabalho humano - a Stalin. Esse nome os faz tremer, esse nome os inquieta, enche de fantasmas suas noites, impede-lhes o sono e transforma seus sonhos em pesadelos. Sobre esse nome as mais vis calúnias, as infâmias maiores, as mais sórdidas mentiras. ‘O Tzar Vermelho’, leio na manchete de um jornal. E sorrio porque penso que, no Kremlin, ele trabalha incansavelmente para seu povo soviético e para todos nós, para toda a humanidade, pela felicidade de todos os povos. Mestre, guia e pai, o maior cientista do mundo de hoje, o maior estadista, o maior general, aquilo que de melhor a humanidade produziu. Sim, eles caluniam, insultam e rangem os dentes. Mas até Stalin se eleva o amor de milhões, de dezenas e centenas de milhões de seres humanos. Não há muito ele completou 70 anos. Foi uma festa mundial, seu nome foi saudado na China e no Líbano, na Rumânia e no Equador, em Nicarágua e na África do Sul. Para o rumo do leste se voltaram nesse dia de dezembro os olhos e as esperanças de centenas de milhões de homens. E os operários brasileiros escreveram sobre a montanha o seu nome luminoso”. - Jorge Amado, via Janer Cristaldo (http://cristaldo.blogspot.com/).

Wednesday, November 19, 2008

Uma nova Era

"Ah, o que você defende é libertinagem!" [se achando o doidão!] Absolutamente. [se acha, sim] Ser favorável à legalização das drogas não é o mesmo que defender o seu uso. [acha que tá enganando quem?] Nem tudo o que é imoral deve ser ilegal. [belo clichê!] O tal princípio da não agressão não é um norte moral, ele apenas trata do uso da força. [que canastrão empolado!] Não se pode e nem se deve coagir ninguém a nada. [ok] O ideal são as associações voluntárias. [desce aí mais um clichê!] Somos obrigados, pelas leis, a ter muitas associações não voluntárias ao longo da vida. [verdade] Isso tem que ser liberalizado. [libertinalizado?] Gradualmente, naturalmente. [um apelo à moderação, parabéns!]

Friday, November 14, 2008

Quem é você para questionar Oscar Wilde?

"Mas confesso que muitos dos pontos de vista socialistas com que tenho
deparado parecem-me contaminados por idéias de autoridade, se não de verdadeira coação. Evidentemente, tanto uma como outra são inadmissíveis. É necessário que toda associação seja voluntária, pois somente numa associação voluntária o homem é justo
."
Isso é o Oscar Wilde no seu "A Alma do Homem Sob o Socialismo" via (http://acao-humana.blogspot.com/
). Plenamente de acordo com o princípio da associação voluntária, mas como isso aconteceria com a vida regida por um comitê central? O livro é bem escrito e saiu em 1891, antes da prática socialista, mas o texto não tem lá muito compromisso com a lógica. Veja só: "A admissão da propriedade privada, de fato, prejudicou o Individualismo e o obscureceu ao confundir um homem com o que ele possui. Desvirtuou por inteiro o Individualismo. Fez do lucro, e não do aperfeiçoamento, o seu objetivo. De modo que o homem passou a achar que o importante era ter, e não viu que o importante era ser." Quantas vezes eu já ouvi isso! [vai ouvir sempre, burguesinho mal acostumado!] Eu não julgo a pessoa pelo que ela tem, esse é apenas um dos fatores de um julgamento que TODO mundo faz. [isso, usa caps lock PRA ENFATIZAR UMA PALAVRA!] É engraçado ver um famoso dândi com um discurso desses. [quem pode, pode] A primeira e primordial propriedade de um homem é o seu próprio corpo. [ih, clichê liberal à vista!] "Abolida a propriedade privada, haveremos de ter o Individualismo verdadeiro, harmonioso e forte. Ninguém desperdiçará a vida acumulando coisas ou à cata de símbolos para elas. Haverá vida. Viver é o que há de mais raro neste mundo. Muitos existem, e é só." Meu Deus! Parece comigo escrevendo no diário aos 15 anos. [diário? viado!] "Nunca se porá em discórdia, nem entrará em discussões ou contendas. [difícil...] Nada terá de provar. [sei...] Conhecerá tudo. [tudinho mesmo?] E no entanto não se ocupará do conhecimento. [conhecerá tudo sem se ocupar disso? hummm...] Será sábio. [ok] Bens materiais não medirão seu valor. [bens materiais não são os únicos valores, sem dúvida alguma] Não haverá de ter coisa alguma. [nem o controle do próprio corpo?] E terá no entanto todas as coisas; [todas as coisas serão minhas? sério?] tão rico, o que dele venha a se tirar, ele ainda o haverá de ter. [como assim?!] Não estará sempre se intrometendo com os demais, ou pedindo-lhes para serem iguais a si próprio. [isso realmente é um saco] Ele os amará por serem diferentes. [não precisa me amar, basta me deixar em paz] E embora não vá se intrometer com os demais, ajudará a todos, como algo de belo nos ajuda por ser o que é. [que coisa maravilhosa!]" (http://www.livrosparatodos.net/livros-downloads/a-alma-do-homem-sob-o-socialismo.html).

83

Gravadora Major. Na mesma linha da Gravadora Discos do Gabriel dos Autoramas.

Radiohead - Where I End and You Begin (Live From The Basement)

Wednesday, November 12, 2008

82

Sim, Sir Felinácio, seu chá com bolinhos com a Condessa Gatchuka está confirmado para às 17 e 30 no lobby da Catedral de Westminster. Use de toda a sua sofisticação e charme para conquistá-la, pois ela é a nossa última esperança para não acabarmos na sarjeta após a recente falência de nossa montadora. Você sabe como são as ruas, cheias de ratos sem pedigree e vândalos sem respeito pela nossa nobreza. Hurry up and congrats for the monocule. Nice touch indeed.

O estado e o racismo

"E, na realidade, é o governo federal - mais do que qualquer coisa - quem nos divide de acordo com raça, classe, religião e gênero. O governo, através de seus impostos progressivos, de suas regulamentações restritivas, de seus subsídios corporativos, de suas cotas raciais e de seus programas assistencialistas, possui um papel essencial em determinar quem irá ser bem sucedido e quem irá fracassar em nossa sociedade. Essa "benevolência" governamental desestimula completamente a genuína boa vontade entre os homens, pois acaba institucionalizando uma espécie de pensamento grupal em que um grupo sempre desconfia de que os outros grupos estão recebendo uma fatia maior da pilhagem governamental. Nada mais danoso para a solidariedade e para a caridade voluntária." - Ron Paul (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=189).

Eu também quero um bailout!

Corporativismo não é capitalismo. Isso vale pro Brasil, pros EUA e pra Conchinchina. Se as montadoras contavam e contam com o estímulo amigo do governo (leia-se "contribuintes") numa conveniente troca de favores, tal arranjo não tem nada a ver com o capitalismo. Quando a GM ou qualquer outra empresa tem que se submeter a sindicatos e demais legislações impostas de cima pra baixo que limitam a sua capacidade de gestão, com funcionários imaginando seus empregos como um patrimônio adquirido, essa relação demagógica - "o que serão desses empregados, vão todos morrer de fome!" - dá margem pra resgates e coisas do tipo que perduram ad aeternum. A solução é deixar empregados e empregadores negociarem livremente, sem o governo garantindo a existência de nenhuma empresa ou emprego. Quer dizer, vivemos no mais deslavado corporativismo que socializa os prejuízos e a desinformação debita isso na conta liberal. "Deixa quebrar!" devia ser o novo lema. Do contrário, quando é que isso vai acabar?

Tuesday, November 11, 2008

Vai idade [quanta originalidade e criatividade!]

Sair por aí lendo blogs é meio deprimente. [é duro olhar no espelho, não?] É tudo vaidade ou há uma vontade genuína de melhorar as coisas? [tudo vaidade] São muitas vozes se contradizendo no vácuo. [o "vácuo" são as suas idéias] Ou você é ingênuo a ponto de achar que a sua opinião vai mudar alguma coisa? [keep dreaming, my friend] Nasça, viva e morra. [turn on, tune in, drop out] É a melhor contribuição que você pode dar à humanidade. [junto com o adubo intestinal] No caminho, tenha alguns prazeres e tente não ser escroto com os outros. [ó, que paspalhão de merda!] Ainda assim, os pensamentos vêm e a ilusão de que se tem algo importante a dizer aparece. [coloca uma melancia no pescoço que você ganha mais] Que ilusão de potência, seu Zé Mané! [fala o que quer, ouve o que não quer] O Brasil e o mundo vão ter mais liberdade não por causa dos idealistas ou dos pragmáticos, o instinto de autopreservação vai cuidar disso. [lembrete: água de bebedouro com cor de esperma não é potável!]

Sobre a natureza

O liberalismo não se trata de ausência de regras e a preservação dos ecossistemas vai contar com uma legislação que cuide dessas externalidades negativas. Por exemplo, quando uma empresa polue um rio, isso está evidentemente invadindo o espaço dos outros e deve ser alvo da lei. Sobre o crescimento econômico, ele é sim necessário, na medida em que a população cresce e não só quer como precisa consumir. Se quer consumir, precisa antes produzir. Esse não é um tema novo. No início do século 19, o Malthus (você deve conhecer) previa uma fome mundial, porque ele dizia que a produção de alimentos crescia em progressão aritmética enquanto a população crescia em progressão geométrica. Pois bem, essa catástrofe não aconteceu, ao contrário, com a industrialização e os ganhos de produtividade, a população e a expectativa de vida aumentaram muito desde então. A tecnologia vai tratar de criar, como já vem criando, maneiras de produzir fontes de energia cada vez mais limpas e baratas, mas o homem não tem outra alternativa a não ser misturar o seu trabalho com a natureza e tirar dali o seu sustento.

Monday, November 10, 2008

O mito de que o laissez faire é o responsável pela crise atual

"O ponto final lógico desse processo é que, um dia, todos terminarão acorrentados a uma parede, ou ao menos sendo forçados a fazer algo tipo viver em um CEP cujos números sejam os mesmos do seu CPF. E então o governo saberá exatamente quem é cada um, onde essa pessoa está e deixará claro que ela não poderá fazer absolutamente nada sem antes ter obtido a devida aprovação e permissão do estado. E então o mundo estará a salvo de qualquer um que tente fazer algo que o beneficie e que, por isso, supostamente prejudique os outros. E, quando chegarmos a esse ponto, o mundo irá desfrutar toda a prosperidade que abundará da total paralisia." - George Reisman (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=188).

R.E.M. - Wolves, Lower (Live 10/10/82)

Sunday, November 09, 2008

Cambista, um herói

O show do R.E.M. é fantástico, mas 200 reais é muita grana. Você percebe instintivamente que é um preço fora da realidade. E está superfaturado por causa da lei da meia-entrada. Há um projeto em Brasília propondo emendas à lei quando ela deveria ser simplesmente abolida. 80% dos ingressos vendidos são meia-entradas, e, desses, 80% devem ser de carteirinhas falsificadas. Seguir a lei ou gastar 100 reais a mais? Aí entra o cambista, alvo dos que dizem condenar o "lucro". Você troca 3 palavras com o cara e paga quanto você acha que aquele show realmente vale. VIVA OS CAMBISTAS E O R.E.M.!

Wednesday, November 05, 2008

A maioria pela menor minoria

O que eu ganho sendo contra a maioria? Não sei, talvez só perca. Talvez me alivie de alguma angústia. Ou o veredicto da maioria constitue a "verdade" ou a "justiça"? Acho que não. As forças que movem a história parecem viver num pêndulo constante, em que períodos de calmaria são seguidos de turbulências, booms vêm antes de busts e liberalizações são seguidas de intervenções. Não que essa lógica seja exata e evite que certos consensos se formem naturalmente. O momento da maioria é o de consolidação do estado como pólo aglutinador e, por que não?, justiceiro contra a "ganância" e o "egoísmo". Isso não é novidade, e essa moralidade dominou o século passado. A crença num poder central forte e moderador é tentadora e privilegia uma sensação de segurança sobre uma liberdade cheia de incertezas. Só que os governantes também são humanos, com suas "ganâncias" e limitações sendo amplificadas pelo poder de fazer e acontecer. Ou alguém tem dúvidas de que a maioria dos alemães apoiava Hitler e a maioria dos soviéticos apoiava Stálin? Não que o Obama seja parecido com esses 2, mas é bom manter os olhos abertos quando multidões depositam muita esperança numa só pessoa.

Barack Obama

O novo Jesus Cristo afro-descendente foi eleito, com o politicamente correto dando viva aos céus por esta bênção. Claro que ninguém sabe ao certo qual o programa do democrata, que se resumia à retórica vaga e envolvente da "mudança" e ao valor simbólico de um "negro" (mestiço, as the matter of fact) na presidência dos EUA. Mas já se sabe que ele não vai sair do Iraque ou do Afeganistão. Ou seja, a política intervencionista permanece, o que não é surpresa, uma vez que o Partido Democrata apoiou essas invasões. As promessas de diversas "bondades" estatais faziam parte também do programa do adversário, o que demonstra a hegemonia da crença num estado provedor, em contraste com os valores de independência que fundaram aquela nação. A ideologia estatista domina o mundo, e a alegria delirante que essa eleição provocou evidencia isso. Se o populismo e o messianismo montaram guarda na antiga terra da liberdade individual, é porque a coisa tá feia. De bom, um arrefecimento do antiamericanismo ao redor do mundo, mesmo que sob o preço de se fragilizar ainda mais a economia depois do desastre Bush. Um trade-off perigoso.