Tuesday, June 02, 2009

Propaganda só se for do governo

Aqui no Rio tá acontecendo um negócio maravilhoso. A propaganda nas ruas está desaparecendo. Consigo até ouvir os pensamentos: "Mas tem que desaparecer mesmo!" Um outdoor anunciando um refrigerante fere a sensibilidade estética dessas pessoas. "É a dominação do capital!" Qual é o problema com o "capital"? Nunca vi ninguém rasgando o "capital". [ato falho] Quanto mais competição e propaganda, melhor pra economia e pro "capital" de todo mundo. Então a gente vai no centro do Rio e percebe que havia mais outdoors na década de 80, durante a gestão Brizola, e que o lugar tá parecendo o centro de um país do leste europeu. Enquanto isso, os outdoors do governo estão liberadíssimos, anunciando as suas realizações (são tão bonzinhos!) e os eventos esportivos que vão estar concentrando a corrupção e o superfaturamento nos próximos anos.

3 comments:

Raphael Vasconcellos said...

Não tenho opinião formada sobre essa questão no Rio, porém amigos paulistas me dizem que lá foi importante pois a cidade parecia o contrário de leste europeu, era feio demais.

E estou falando de amigos capitalistas :)

Existem questões de ordem urbana que podem transcender questões econômicas?

Não podemos colocar a poluição visual no mesmo patamar que a poluição sonora?

sol-moras-segabinaze said...

O dono tem o direito de colocar a propaganda que ele quiser na sua propriedade, contanto que não invada a propriedade alheia. Se é "feio" ou "bonito", trata-se de um julgamento subjetivo.

Eu preferia São Paulo antigamente com todos aqueles outdoors e luminosos, a cidade parecia mais viva, menos opaca.

sol-moras-segabinaze said...

"Não podemos colocar a poluição visual no mesmo patamar que a poluição sonora?"

Boa questão. Vou pensar a respeito e tentar responder depois.