Friday, October 09, 2009

O capitalismo de Michael Moore

Preparem-se que lá vem "Capitalismo, uma história de amor", o novo filme do Michael Moore. Ele tá fazendo a promoção lá nos EUA, então já tem diversos vídeos em que ele tenta justificar a sua tese. Ele não explica bem qual é a alternativa ao "capitalismo", exceto uma vaga idéia de "democracia". Já existe uma democracia nos EUA, mas ele não está satisfeito, não é o suficiente. "Democracia do povo", diz, sem especificar nada. Como ele admira a democracia plebiscitária bolivariana, as conclusões ficam fáceis. Tirania da Maioria. Faz muito sucesso. Michael Moore fez um filme exaltando a saúde cubana, preparando o terreno pra brasileirização da saúde americana. Ele quer o socialismo do século 21 e vota no Nobel Obama. Você também? Don't get me wrong, mas o que o Moore e a maioria das pessoas condenam e entendem como "capitalismo" tem outros nomes: economia mista, welfare state, fascismo, socialismo democrático, estatismo e, principalmente, corporativismo. Michael Moore é um desses românticos que acham que as coisas caem do céu. Imagina a riqueza material como um dado da realidade, "basta distribuir". E quando os incentivos fazem a produção ser tão pequena que não há nem o que distribuir? Como é que faz? E, by the way, quem decide como vai ser feita essa distribuição? Você quer dar a um grupo o poder de decisão sobre toda a economia? É isso mesmo? Tem certeza? Porque é, na prática, o que você tá propondo. Se o problema do homem é a "ganância", por que você acha que dar tanto poder a um grupo sobre os outros é uma boa idéia? Os políticos, por acaso, não são humanos? Você já estudou a história dos socialismos, fascismos e nacionalismos do século 20? O problema afinal é de um livre-mercado (capitalismo) que você mesmo, no vídeo abaixo, reconhece não existir? Não duvido da sua boa intenção, mas duvido que esse caminho não resulte numa tremenda confusão (http://www.youtube.com/watch?v=gwQ41Yo60og).

6 comments:

Johann Heyss said...

Eu gosto do Roger and Me e do Bowling for Columbine. Quando ele ataca a violência e o corporativsmo, acho legal. Mas o discurso político dele é de vomitar. Só de ver essa foto dele com o canalha de Caracas...

Haemocytometer said...

Capitalismo sem corporativismo é tão ou mais utópico que o fim marxista da História. Sol, você é um capitalista utópico...

sol-moras-segabinaze said...

Só porque as coisas são diferentes hoje do ideal, não quer dizer que não podemos nos aproximar dele.

Mais liberdade econômica e individual, mais prosperidade pra todos.

Não tem mistério. Mas estão indo pro lado contrário.

Haemocytometer said...

O dia em que o corporativismo deixar de ser lucrativo, sua utopia vira realidade.

sol-moras-segabinaze said...

O corporativismo vai continuar sendo lucrativo e dominante se as pessoas o considerarem inevitável e não fizerem nada.

Eu estou dizendo, separe o estado da economia que não vai haver margem pro corporativismo, porque é o estado através da lei que o legitima.

Você teria alguma sugestão ou não há nada a se fazer?

Fênix Felipe said...

Adorei o artigo