Tuesday, October 27, 2009

Cultuando a merda

O que fazer com uma pessoa que gosta de lamber o cu alheio? Tinha um punk escatológico chamado GG Allin que fez um relativo sucesso no mundo alternativo por cagar e comer o próprio cocô no palco. Eu trabalhava numa loja de CDs na década de 90 que tinha esse vídeo e não eram poucas as pessoas que pediam pra assistir o espetáculo grotesco. O que há de se fazer? A curiosidade existe, do que adianta colocar essas coisas debaixo de um tapete? Se eu acho maneiro? Não, sou limpinho e cultuo o bom, o bem e o belo. Não vibro ao ver uma pessoa fazendo essas coisas, mas se ela escolheu fazer isso, o que eu posso fazer? Chamar o estado e pedir pra ele proibir essas práticas? Nunca. Se achar algo "nojento" fosse critério pra proibição, teria que se proibir o Jackass, os filmes de terror, a gordura hidrogenada e a própria evacuação. Quer coisa mais democrática que a merda? Não precisa comê-la nem ter ereções com o seu sabor, basta reconhecer a sua existência. Eu mesmo ficava meio revoltado com esse fato na adolescência. Resultado: prisão de ventre.

3 comments:

Tati said...

hehehe cachorro de rua às vezes come cocô rs

Tenho dois que não podem ver um cocô, quer dizer, um já morreu.

Deve ter proteína, sei lah, vai entender.

Tati said...

olha, tem nome... coprofagia!

como a gente vivia sem o google hein?

http://www.bitcao.com.br/cachorro-59.htm

De fato tem uns probióticos desses lah na casa da minha mãe.

sol-moras-segabinaze said...

Coprofagia, o primeiro título que pensei pro textinho.