Wednesday, September 30, 2009

Um erro de Rothbard

Não subscrever a visão filosófica cor-de-rosa do libertarianismo de Nozick não é o mesmo que assinar embaixo de tudo o que Rothbard escreveu. Tanto ele quanto Mises, Rand e outros não carregam a Verdade Revelada e cometem erros como na declaração abaixo de Rothbard: Aplicando nossa teoria ao relacionamento entre pais e filhos, o que já foi dito significa que os pais não têm o direito de agredir seus filhos, mas também que os pais não deveriam ter a obrigação legal de alimentar, vestir ou educar seus filhos, já que estas obrigações acarretariam em ações positivas compelidas aos pais, privando-os de seus direitos. Uma das maiores diferenças entre os liberais e os socialistas é que temos, de um lado, um discurso frio e racional, esclarecendo causas e efeitos. De outro, uma retórica quente e emocional, obstruindo a lógica causal com sentimentalismos que falam ao coração. Mas, acho que nesse caso específico, o Rothbard está errado independentemente da abordagem. Os pais devem ser os responsáveis legais dos seus filhos, como não? O duro é estabelecer até quando. Me parece que alguns liberais evadem a liberdade e responsabilidade quando chega a hora de ter filhos. Então defendem o aborto e a falta de responsabilidade pela vida que se gerou. O filho não foi obra do Espírito Santo, foi gerado pela ação da própria pessoa.

2 comments:

Anonymous said...

Rothbard errou. Típico de sujeitos que se acham donos da verdade. Mises e Rand tem um pouco menos de orgulho profissional, e são mais focados na lâmina estreita do discurso de Nozick do que Rothbard, que não é focado em nada exceto em seu enorme umbigo intelectual, que limpava com o enorme cotonete das virtudes morais. Ele detestaria esta frase, talvez até mais do que eu. Nozick é um pouco mais, eu ia dizer místico, mas a palavra certa é quântico, dando muita importância ao que faz o micro universo neutronial quando a gente está olhando para o outro lado, mas seja como for Nozick é uma espécie de Pedrinho Aguinaga das frases feitas - seja isto o que for. O que me leva, mais uma vez, ao bom e velho Victor Mature. Abraços, Fred.

sol-moras-segabinaze said...

Interessante isso, Fred. E, ralmente, o Nozick deve ter sido eleito o "intelectual mais bonito do liberatarianismo", assim como o Aguinaga foi "o homem mais bonito do Brasil" segurando um Chatecler. Ou seria Chanceler?