Wednesday, September 23, 2009

O nacionalismo

A candidata do PT às próximas eleições disse que "não há nenhum problema com o nacionalismo", no que a colunista Miriam Leitão respondeu dizendo que "realmente, não há problema com o nacionalismo, o problema é o uso político que se faz dele". O que seria então o nacionalismo? Segundo a wikipedia, é "a política que defende os interesses da nação". Um conceito vago e subjetivo que dá margem pros maiores disparates em nome, justamente, dos "interesses da nação". Se confunde então os tais "interesses da nação" com os interesses dos governantes da ocasião. Ora, se eu digo que sou contra a política "nacionalista" de X, X pode então me acusar de ser um traidor da nação, da pátria ou do quer que seja. Claro que eu também quero o melhor pra "nação", só estou discordando dos meios utilizados por X. O que a ministra Dilma quer, de fato, é aprofundar a estatização da economia brasileira e colocar mais poder nas mãos do governo federal. Se deixarem, em nome do "interesse nacional", ela reestatiza a Vale do Rio Doce. Vai carregar na oposição aos estrangeiros (nacionalismo e xenofobia são irmãos inseparáveis), dizendo que os lucros da empresa "vão lá pra fora, não ficando nada pro 'social'". O que ela não vai dizer é que, antes da privatização, a Vale era uma estatal deficitária, dando prejuízos seguidos aos cofres públicos (abastecidos pelo eufemismo "contribuintes") e que, depois de privatizada, se tornou uma das maiores empresas do mundo, rendendo ao governo milhões em impostos pra ele fazer a sua demagogia. Não sou de citar frases, mas eis uma boa do Einstein: "O nacionalismo é uma doença infantil: é o sarampo da humanidade".

2 comments:

Raphael Moras de Vasconcellos said...

Dá-lhe Einstein.

Para ver um exemplo lindo de nacionalismo, socialismo, ecologismo, anti-liberalismo, anti-capitalismo, estatizacionismo, xenofobismo, é só ouvir o discurso do Lula na ONU de hoje.

sol-moras-segabinaze said...

Deve estar sendo brabo.