Monday, February 22, 2010

O tipo de pensamento que me agrada

Folia americanizada. O ovo da serpente está lançado. Não basta americanizar em muito o nosso vocabulário, agora também querem acabar com as nossas músicas carnavalescas. O samba e a marchinha são cariocas, e espero que a PREFEITURA NÃO DEIXE reggae, rock e outros invadirem o nosso carnaval. Carta de uma leitora na Revista de Domingo do "O Globo". Não é porque esse antiamericanismo nazionalista é disseminado entre nós desde a mais tenra infância que ele vai deixar de me incomodar. Junte a ele essa noção de que o governo deve ter o poder de "deixar" um tipo de música tocar ou não e temos aquele autoritarismo bem brasileiro que não se reconhece como tal. Ela está apenas querendo defender a "nossa cultura", como se a cultura fosse algo estanque e congelado no passado: "Pronto, aí está a verdadeira cultura brasileira, o samba e a marchinha. Se vire com isso até o final dos seus dias".

6 comments:

Anonymous said...

Disseram que eu voltei americanizada. Deve ter sido o neto da leitora da revista do Globo
quem disse isso pra Carminha.

João said...

Só li a Revista do Globo hoje e quase caí pra trás. Bom saber que não fui o único.
Se fosse o responsável pelas cartas da revista não deixaria uma merda dessas ser publicada (hehehe).
É ´serio, porque ela parte de premissas falsas e, ao contrário da prefeitura com as músicas de carnaval, O Globo tem o direito de escolher que cartaz ou e-mails publica ou não.
Quem quiser escrecer esas asneiras, que invente seu próprio blog - e veja se alguém vai querer ler. Fiz um blog (institucional) de blocos para a rádio Beat98 e tive que ir a alguns em que a rádio pôs um caminhão-pipa para refrescar a galera.
Notei como as marchinhas são repetidas invariavelmente em todos eles - e a única estrangeira que ouvi foi o Bolero, de Ravel, no aquecimento do Monobloco. Agora, vem uma louca escrever que o rock e reggae estao ameaçando e americanizando o Carnaval carioca! Sério mesmo, isso não é uma opinião-que-se-deve-respeitar, porque parte de uma premissa tão verdadeira quanto os peitos das cabrochas do Bloco das Piranhas de Teresópolis.
Pelo menos, é uma louca só. Piores são os tonton macoutes dO Partido querendo acabar com o que eles chamam de "monopólio" dos meios de comunicação, em sua indefectível novilígua.
Evoé!

sol-moras-segabinaze said...

Isso aí.

Igor T. said...

Nazionalista foi demais, Sol. Adotarei o termo.

sol-moras-segabinaze said...

Tô tentando emplacar o "nazionalismo" já há uns 10 anos, Igor.

rodrigo.feijao said...

bom se nego travar rock vou jogar uma bomba em geral que nem a dilma!