Wednesday, February 03, 2010

As visões sobre a sucessão do governo Lula

O povo mais radical à esquerda considera a administração Lula "neoliberal", porque não é possível que o presidente dos trabalhadores suba ao poder e não saia expropriando propriedades a 3 por 4 como se o Brasil fosse a Rússia de 1917. Votam no PCO, no PSTU ou no PSOL, o partido do socialismo ou liberdade. O povo da esquerda moderada gosta do Lula e da sua preferência pelo social (socialismo), compreendendo que a utopia igualitária não se materializa de uma hora pra outra. É necessário todo um trabalho de desarmamento das resistências pra que o Partido (era o PCB, agora é o PT) domine de vez todas as instâncias de poder da sociedade. Eles invariavelmente já estão inseridos na administração pública, de onde atuam pra manutenção e aprofundamento do status quo petista. Consideram o programa de direitos humanos do PT bem razoável e votam na Dilma numa boa. O povo de centro não tem nada contra o estado determinando isso ou aquilo, mas de alguma maneira suspeita dessa ânsia louca de poder do PT, preferindo o estatismo mais brando representado pelo PSDB. Os moderados estão certos de que qualquer radicalismo é deletério, a não ser que esse radicalismo seja eleito pela maioria. O tipo de pessoa que só agora, depois de 10 anos, começa a chegar à conclusão de que o Chávez é nefasto pra Venezuela. O povo da direita moderada não tem um candidato à presidência e normalmente tem vergonha de dizer que defende o capitalismo liberal num país que, segundo o ungido, "graças a Deus só tem candidatos de esquerda". Vota no Serra tapando o nariz por ser a opção "menos pior". E o povo mais radical à direita não enxerga diferença entre o totalitarismo petista e o autoritarismo tucano e anuncia aos 4 ventos que vai votar nulo ou não vai votar at all. "É só pagar 3 reais nos Correios". E enfrentar uma fila gigantesca, bem maior do que a da zona eleitoral. Tuff choice, man.

11 comments:

João said...

"à presidente", com crase, não dá.

Anonymous said...

No belo recanto do Humaitá, em magnífica paragem chamada Largo do Sol, coisa pra happy few, reza a lenda que rolará inolvidável festa junina. Está longe, eu sei, mas tamos aí nesse pirão!!!

sol-moras-segabinaze said...

Valeu, João Pasquale, nem tinha me tocado ou revisado.

sol-moras-segabinaze said...

Vai rolar sim, aguarde coordenadas.

Anonymous said...

Acho que Dilma é invencível. Vi este reveillon em Buzios. Havia um milhão de pessoas C e D (categorização apenas para simplificar, sem preconceito, etc)
se divertindo à não mais poder. Esse pessoal nunca antes teve acesso à coisa de bacana. Migraram de Saquarema pra Cabo Frio, de Cabo Frio pra Buzios. Bruta up grade. Ninguém vai querer perder essa boquinha anual. O mesmo do pessoal que compra carro pagando 120 real de prestação, ou que faz cruzeiro pagando 87 de prestação.
A vida deles mudou pra valer. O que sobra pra gente é uma certa dor de corno - falo por mim - de ver que o governo do "ignorante" não foi um fracasso, longe disso.
Claro. Temos mensalões, MST, senadoras petistas rotweiller, tudo isso irrita, mas é do jogo.
Dilma vem aí, Sol, com aquela insolência típica de quem agora é patrão, vide o "minha filha" na famosa coletiva. O Brasil é deles, Sol, e estão querendo de volta.

Anonymous said...

A maneira petista de fazer política está hoje nos jornais: no recadastramento do Bolsa Família há
a informação de que a Bolsa pode mudar com um novo governo ano que vem. Tudo pelo poder.

sol-moras-segabinaze said...

Essa eleição vai ser uma sujeira como nunca antes se viu na história deste país. E se o Serra ganhar, pode esperar, os sindicatos e movimentos socialistas vão fazer de tudo pra sabotar o seu governo.

Anonymous said...

Não fiz psquisa a respeito, Sol,mas
tenho para mim que o MST só invade terra em São Paulo e ou estado da oposição. Isto já é movimento socialista boicotando governo. É de se ver a Juventude Petista bradando contra o mensalão do DEM
(justíssimo, by the way)e nunca se
viu a mesma Juventude bradando revoltada contra, aspas, o chefe da maior quadrilha especializada em desviar dinheiro público, fecha aspas. O Governo Companheiro deu mais de 100 milhões de reais para a gangue rural. Isso dinheiro contabilizado.É como eu sempre digo, Sol; o País é deles, e já nos viram.

Solano said...

Excelente post, Sol. Excelente.

Acrescento duas coisas:

1. Você descreveu muito bem o que divide os direitistas moderados e os radicais: o voto em Serra. Os moderados pensam que é preciso evitar o pior, e não ficar conjecturando alternativas "poéticas" de resistência, como o voto nulo. Já os radicais declaram que pensar em votar em Serra é um indício claro de trairagem, de contaminação socialista mais ou menos inconsciente por parte dos moderados. Não sei, não, mas acho que esse pessoal mais radical está sendo mais olavista que o próprio Olavo, que chegou a escrever um artigo chamado "Votem no chuchu!" durante as últimas eleições. Também não me lembro de ninguém ter se levantado, em 2005, para pedir votos para Luciano Bivar e José Maria Eymael, de direita, embora excêntricos, que mal saíram do traço. Se um dos dois voltar a ser candidato, vamos ver todo esse fervilhar na blogosfera confluir para eles, pelo menos como protesto, no primeiro turno? Improvável: tem muita gente que só quer ficar lendo Chesterton ou Mises no banheiro e não fazer nada.

2. A cultura blogueira cunhou o neologismo "liberal-conservador", que foi gerado por algum wishiful thinking, se é que não foi feito para enganar trouxas. Liberais e conservadores viveram às turras durante todo o século XIX, enquanto o jacobinismo reciclado por Marx ainda não se tornava a Hidra de mil cabeças que é, obrigando-os a ficar do mesmo lado, tempos depois. Os conservadores sempre foram mais ciosos daquilo que os liberais poderiam considerar uma espécie de "função moralizadora do estado", sendo, assim, tachados de coletivistas e liberticidas. Já os conservadores sempre consideraram os liberais demasiado amorais, dispostos a defender a circulação de coisas que poderiam ser ruinosas a um certo conceito de civilização. Se surgir uma frente de direita no Brasil com alguma representatividade, a lua-de-mel "liberal-conservadora" vai para o beleléu.

Solano said...

Que erro feio eu cometi! É wishful thinking.

sol-moras-segabinaze said...

Boas colocações, Solano.

Alto o nível dos comentaristas.