Monday, January 18, 2010

"A cultura é um serviço público"

Li outro dia: "A cultura é um serviço público". O povo que vive de patrocínio estatal não gosta quando questionam as leis de incentivo, afinal, "a cultura é um serviço público" e dar 1 milhão de todo mundo pra Fulano fazer um filme é um custo que aparentemente se justifica por si só, sem maiores discussões. Mas pra que o estado possa elevar o espírito de todo um povo através da natureza benevolente e altruísta de suas ações, ele tem que escolher antes quem vai receber esse apoio, não dá pra dar dinheiro pra todo mundo que faz arte, a capacidade de expressão das pessoas é praticamente infinita, mas os recursos são limitados. Tem que ter muito critério, é delicado exercer tanto poder, não é verdade? Mas certos artistas - imbuídos daquela centelha criativa e visionária que move as grandes realizações - consideram não só justo como imperativo que as suas criações sejam patrocinadas a fundo perdido pelo feijão mais caro do cidadão que gosta da banda Carrapicho. É uma imagem forte, eu sei. "Cultura é um serviço público"... Quase caí pra trás quando li essa. Os jornais tentam entender como é que essa política cultural tão consensual entre os homens de boa vontade não deu certo e os filmes continuam não se pagando. "Como é que o filme dos esquilos deu mais público que o do Lula?" Até um esquerdista flamboyant como o Gore Vidal sabe que o estado não deve se meter com arte. Um outro famoso do teatro foi também chorar as pitangas dizendo que "o patrocínio só paga a produção, e o resto da temporada, como é que fica?" O que mais esses caras querem? Que o "contribuinte" banque a produção, a temporada e o leite das crianças dos envolvidos e de seus herdeiros até a quarta geração? Como é que fica o artista que questiona o poder do estado? Você acha que o burocrata da Petrobras - entre os milhares de projetos que recebe - vai selecionar algum que questione a sua função? É justo que uma pessoa tenha tanto poder sobre os recursos dos outros? O que é que a classe artística brasileira pensa a respeito dessas questões?

1 comment:

rodrigo.feijao said...

ora, ora... você sabe muito bem o que pensa a classe artística brasileira. e quem não pensa como eles agora rapidinho vai pensar. e quem não pensava já está pensando igual. etc etc etc