Wednesday, May 27, 2009

O brasileiro do século

"Não acredito mais nas soluções legais. Todos os nossos governantes representaram e defenderam esse regime de classes que anda por aí, sem nos darem uma única brecha para o regime mais justo que desejamos. Mas me tranqüiliza lembrar que a miséria é grande demais para ser contida." Quanto pior, melhor, não é verdade? Vamos tocar o zaralho, instaurar o caos e aumentar a miséria pra que finalmente um horizonte de eterna abundância se instale na Terra. A lógica do homem é mesmo irrefutável. O arquiteto favorito dos "governantes que representaram e defenderam esse regime de classes que anda por aí" no Brasil prossegue: "Como eu disse, é muito importante que as esquerdas se organizem para juntas lutarem melhor. E a todas procuro atender e ser útil. Entre elas estão vocês do Partido Comunista, Marxista-Leninista, radicais como mais me agrada. Por isso mesmo, eu os felicito por esse longo período de luta que vêm mantendo em defesa de nosso povo." (http://www.inverta.org/jornal/edicao-impressa/292/especial) O que me deixa mais bolado é como o nazismo foi entronizado como o mal absoluto enquanto o comunismo ainda é cantado em prosa e verso como uma ideologia bacana e humanista. Os judeus dos socialistas são os "burgueses". Na versão petista, as "elites". Realmente, a inveja e o ressentimento são poderosos instrumentos de luta. Então se o Brasil continuar votando no PT e nas esquerdas, vai conseguir isso: o empobrecimento mútuo das elites (burguesia) e dos trabalhadores (proletariado), com o governo (nomenklatura) nadando em dinheiro e privilégios. A história é farta em exemplos. Pra encerrar, mais uma pérola humanista do marxismo-leninismo: “Camaradas! O levante kulak nos cinco distritos de sua região deve ser esmagado sem piedade. Os interesses de toda a revolução o exigem, pois a ‘luta final’ com os kulaks está doravante engajada por toda parte. É necessário dar o exemplo: 1) Enforcar (e digo enforcar de modo que todos possam ver) não menos de 100 kulaks, ricos e notórios bebedores de sangue. 2) Publicar seus nomes. 3) Apoderar-se de todos os seus grãos. 4) Identificar os reféns do modo como indicamos no telegrama de ontem. Façam isso de maneira que a cem léguas em torno as pessoas vejam, tremam, compreendam e digam: eles matam e continuarão a matar os kulaks sedentos de sangue. Telegrafem em resposta dizendo que vocês receberam e executaram exatamente estas instruções. Seu, Lenin." (http://www.ordemlivre.org/blog/?p=361).

2 comments:

Raphael Vasconcellos said...

Nazismo e comunismo na prática

Nazismo: ditadura excludente e expansionista baseada na separação por 'raças', em mitologias e em megalomanias de líderes com sede de sangue, que matou milhões e ainda é um incômodo.

Comunismo: ditadura excludente e expansionista baseada na separação por classes, em hipóteses sócio-econômicas e em megalomanias de líderes com sede de sangue, que matou mais ainda e ainda mata.

sol-moras-segabinaze said...

Matou a pau, Raphael.