Monday, May 03, 2010

O pêndulo político e o caso grego

Os políticos querem se eleger e os eleitores querem "almoço grátis", então os políticos prometem "almoço grátis" em troca de votos. Cada grupo de pressão está bem ciente de que o seu "almoço grátis" vai ser exercido às custas do almoço mais caro dos demais, mas assim é a democracia. Esse arranjo vai se arrastando até que um belo dia a corda arrebenta como acabou de arrebentar na Grécia. Então os social-democratas eleitos por prometerem "almoço grátis" são obrigados pela realidade a restringir o seu welfare state, o que causa muitos protestos dos grupos de pressão recebedores dos benefícios. Os sindicatos e demais movimentos socialistas saem às ruas e acusam de traição os governantes, que respondem dizendo que a culpa disso tudo é do capitalismo, da especulação, da desregulação ou do bode expiatório que estiver mais a mão. Com o filme queimado, os social-democratas abrem espaço então pra ascensão dos liberais ou conservadores que assumem o poder pra colocar um pouco de ordem na casa. Depois de um tempo, o país sai do vermelho e a necessidade da austeridade fiscal perde força, abrindo espaço pro surgimento de outros políticos prometendo mais "almoço grátis", dando início a uma nova rodada de depredação das contas públicas.

2 comments:

Raphael Moras de Vasconcellos said...

Vou usar esse post pra explicar o que eu penso, é isso que eu queria dizer. O caso grego é essa coisa esquerdatizada e engessada causada mais por populismo que por vocação esquerdista (enfim, mesmo resultado), e as máfias vão se acumulando.

Alguém me contou que existem casos como o de um responsável por construir túneis que não tinha nada a ver com engenharia muito menos túneis, e as estradas tinham que ser desviadas para encontrar os túneis malucos do cara.

rodrigo.feijao said...

igual a belo monte? hhehe