Friday, June 18, 2010

Fazenda modelo bolivariano

Imagine que você sempre sonhou em morar no campo, numa fazenda, e trabalhou muito pra isso, abrindo mão de várias coisas pra poupar e comprar um pedaço de terra. Você usou uma parte da terra pra plantar, sei lá, laranja e arrendou a parte restante pra uma família sem casa e emprego da região. O acordo com a família estabeleceu que você, como dono da terra, ficaria com uma parte da produção - o valor de mercado - dos arrendatários que agora têm onde morar e trabalhar. Essa é uma situação em que todos passaram de uma situação menos satisfatória pra uma mais satisfatória, não? O que haveria de errado nesse arranjo voluntário? Nada, mas segundo os bolivarianos e demais marxistas, você está "explorando" a família e isso não pode, só o estado pode explorar todo mundo. Então o presidente da Venezuela - aquele lugar que o Lula considera ter "democracia até demais" - vai sancionar uma nova lei que proíbe essa "terceirização" por considerá-la "contrária à paz social". Pela lei, se a família tiver trabalhado por 3 anos nesse regime, ela se tornaria então proprietária do terreno. Qual é a justiça nisso? A pessoa que olha pra essa arbitrariedade como algo "em favor dos pobres e contra os proprietários exploradores" se esquece que a partir do momento que a família tomar posse do terreno, ela também não vai poder dispô-lo da maneira que quiser, isto é, ela não seria realmente proprietária, mas mera arrendatária do governo, o verdadeiro proprietário. Além da injustiça, não há a menor possibilidade desse esquema aumentar a produção de alimentos, o objetivo declarado do personagem da "Praça é Nossa" que governa a Venezuela. Não aumentou em lugar nenhum (Cuba produz hoje menos açúcar do que produzia em 1905), por que seria diferente agora?

3 comments:

Luiz Mário Brotherhood said...

Sol, a alguns dias atrás eu tive umas conversas com uns marxistas numa comunidade do orkut.
Depois disso, eu to com, literalmente, MEDO de marxista. MEDO.
Toda a ideologia deles, fundamentada em bases filosóficas, dá origem a uma coisa: o direito da violência por parte deles.
Quem está contra eles é alienado ou "representa os interesses burgueses". Quem está a favor está correto, "percebeu a verdade".
Conceitos como "liberdade de imprensa" são conceitos criados pela elite burguesa, e foram impostos em nós, sem nossa real "vontade".

Quando eu ouvia alguns liberais (como o Constantino) falando isso sobre marxistas, eu achava que era exagero, que esses marxistas eram exceções. Mas... acho que errei.
Eles estão por aí...

sol-moras-segabinaze said...

"Eles estão por aí..."

No governo, inclusive.

Anonymous said...

Marxista bom, vocês sabem...