Wednesday, November 18, 2009

A diferença entre os muros

Não compreender a diferença entre um muro que não deixa sair (Berlim) e um que não deixa entrar (México) é dar atestado de esquerdismo mental, mesmo que involuntário. Como apontou o Marton, é a diferença entre o muro de uma residência e o muro de um presídio. De qualquer maneira, acho que já está na hora de tentar compreender a razão que faz esses muros serem erguidos. Pra começar, o imigrante imagina que vai ter uma vida melhor do outro lado do muro. Quem pode culpá-lo sabendo daonde vem? Parece que meio milhão de pessoas atravessam por ano a fronteira entre o México e os EUA. Não são apenas mexicanos, tem muito brasileiro fazendo o mesmo. Então os que já estão dentro dos EUA temem que todo aquele welfare de que são beneficiários vai ser prejudicado com a invasão de estrangeiros. É uma questão lógica, o welfare state estimula a xenofobia. A ascensão desse discurso xenófobo e a restrição da imigração em países da Europa não deveria surpreender ninguém. Ora, se um país dá mais oportunidades e me garante isso e aquilo "de graça", porque vou ficar num lugar que não me garante nada? A idéia de um estado do bem-estar social num mundo globalizado, por mais generosa que seja, parece insustentável no longo prazo. (http://nottupy.blogspot.com/2009/11/berlim-vs-tijuana.html)

3 comments:

João said...

A comparação entre os muros confere, mas "ascenção", com Ç foi foda.

sol-moras-segabinaze said...

Ops! Valeu João.

João said...

Esse foi, por acaso, o erro que eu mais custei a não cometer. Agora, lembrei do disco Por Pouco, do Mundo Livre SA, cuja capa era um chicano tentando pular o muro e entrar nos EUA.

O Fred 04 dizia que não entendia porque o mundo todo fala de um muto e não falava do outro. De lá (ano 2000) para cá, esse tipo de esquerdismo mental (bom termo hehehe) foi ficando tão mais popular que muita gente nem consegue pensar fora desses parâmetros.