Monday, April 05, 2010

O desinteresse pela filosofia

Um dos motivos da filosofia ter virado um assunto que desperta pouco interesse é essa tendência que muitos acadêmicos têm de se engajar em debates auto-referenciais, em analisar as minúcias do autor X ou Y em contraponto ao discurso W ou Z, sem levar essa especulação pra realidade. Muitas vezes a coisa parece ser feita pra isso mesmo, pra afastar as pessoas e "a investigação crítica e racional dos princípios fundamentais relacionados ao mundo e ao homem" ficar restrita àquele círculo de iniciados. Mas não é disso que se trata a filosofia, ela está aí pra nos ajudar a agir dentro dessa realidade que a reflexão filosófica nos ajudou a compreender. Ela não é um jogo de significados e significantes em que ganha quem conseguir ser mais obscuro e incompreensível. Ela não serve pra adular a nossa vaidade intelectual, ela serve pra pessoa compreender o que está acontecendo a sua volta e isso só vai ser possível se ela não subestimar o poder da sua própria consciência. Se a pessoa já partir do princípio de que tudo é uma ilusão e que a verdade não existe, a filosofia não vai ter nenhum sentido. Se tiver um mínimo de confiança na sua capacidade racional, a pessoa vai ter todos os motivos pra se engajar na investigação filosófica, porque disso depende a sua própria sobrevivência e felicidade.

11 comments:

FIXtheMAD said...

Há de se observar, no entanto, que uma das premissas que forma a base da filosofia pós moderna é a negação de que a realidade possa ser objetivamente apreendida pela razão. Dessa forma os postulados filosóficos do pós modernismo não tem esse elemento utilitário de que trata seu texto, e são em sua essência anti-científicos. Pros pós modernos a filosofia é um grande diálogo entre grandes homens durante os séculos cujo tema central é a possibilidade prática de diálogos entre homens.

sol-moras-segabinaze said...

Me inclua então fora dessa.

João said...

"princípio de que tudo é uma ilusão e que a verdade não existe"

E eu acho engraçado como tem gente que afirma que a verdade não existe como se tal afirmação fosse, paradoxalmente, a verdade mais incontestável do universo.

sol-moras-segabinaze said...

Podicrê.

Luiz Renato said...

Creio que o problema da 'filosofia" de hoje em dia não é a falta de confiança na capacidade racional, mas o excesso de confiança na capacidade racional, é ela, e, talvez, desde Kant, que transforma o filosofar nessa "masturbação" mental para geeks solitários.

sol-moras-segabinaze said...

Não sou um hiper-especialista em Kant, mas pelo que conheço ele embolou mesmo o meio de campo com aquela distinção entre o mundo fenomenal e noumenal.

Adriano Bueno Kurle said...
This comment has been removed by the author.
Haemocytometer said...

Concordo com o Adriano. O logocentrismo é das religiões mais perigosas que existem. E é onde a fé no "indivíduo" se baseia.

sol-moras-segabinaze said...

Não sei daonde você tirou que o indivíduo é uma questão de "fé". Você não tem nenhuma evidência de que está aí lendo o que estou escrevendo aqui? Qual é o salto de fé necessário pra você perceber que de fato existe? Que não só existe, como age tendo a consciência disso?

sol-moras-segabinaze said...

Derrida que veio com esse papo de logocentrismo, né? De novo, da wikipedia (haha): "Derrida costuma ser admirado nas faculdades de Letras, pelos estudiosos da literatura, mas não nas faculdades de Filosofia. Nestas, seus escritos são geralmente considerados irrelevantes, inconsistentes e desprovidos de valor." Pode ser da wikipedia, mas faz sentido.

sol-moras-segabinaze said...

Outra dele: "Em um debate com Karl-Otto Apel, afirmou: A comunicação é impossível. Apel respondeu: Concordo. Derrida não deixou por menos: Então eu me expressei mal." Se a comunicação é impossível, o que é que a gente tá fazendo aqui?