Wednesday, May 25, 2011

Green peace, war on mankind

Depois que o sacrifício do indivíduo ao coletivo (socialismo) não deu os resultados esperados, outra forma de controle devia ser encontrada, então a onda agora é sacrificar o indivíduo à natureza (ambientalismo). É a inversão de sempre: o governo não deve satisfação aos seus cidadãos, os cidadãos devem satisfação ao seu governo; a natureza não deve ser usada em benefício do homem, o homem deve ser usado em benefício da natureza. O ambientalista parte do princípio de que se algo não for feito já, se o homem não repensar (restringir) o seu consumo, a natureza vai pro brejo. Claro que o brejo continua fazendo parte da natureza, assim como o homem e tudo o mais que existe. Esse ambientalismo xiita, como qualquer outra religião, também tem a sua escatologia e o seu profeta, Al Gore. "Olha aqui, humano ganancioso e desprezível, se você continuar desmatando pra plantar ou criar gado, a Terra vai acabar, pau nos ruralistas exploradores de Gaia!" Assim como os comunistas não gostam dos comerciantes, os ambientalistas também não gostam dos ruralistas, percebe o padrão? Acontece que nada indica o fim do planeta, o mar de Ipanema ainda não invadiu a Vieira Souto e mesmo a tese do aquecimento global já é desacreditada pela própria ONU, sendo chamada agora de "mudança climática". "O tempo mudou, culpa do desmatamento e do combustível fóssil!" Psicologizando o assunto, poderia-se especular que, da mesma maneira que os comunistas não gostam (ou dizem não gostar) do individualismo porque não apreciam muito o que vêem no espelho, os ambientalistas parecem não ter também uma opinião muito positiva sobre a própria espécie. Então o homem vira a última das prioridades do homem, pensamento que eu, membro da espécie, não tenho como apoiar.

13 comments:

Transeunte said...

Qual o posicionamento na questão ambiental você considera plausível? Ou melhor, o que você considera ambientalismo não xiita? Ou ainda, não há nada que preste no ambientalismo? E, se assim for, como você lida com as questões envolvendo o homem e o meio ambiente?

Perguntas que vão me ajudar a entender melhor seu posicionamento, obrigado.

sol-moras-segabinaze said...

Já respondo, tenho que dar uma saída agora.

Anonymous said...

Se o Transeunte me permite pequena inclinação no eixo do post, gostaria de dizer que o buraco é um pouco mais abaixo da camada de ozônio. A questão é a superpopulação, é assim que se escreve? Políticos se esquivam desta questão. Gente vota e gosta de botar mais gente no mundo, duas coisas terríveis para políticos. Se o ritmo for igual ao de hoje a natureza vai para a cucuia com ou sem ambientalista se agarrando ao pau mulato. Considero-me ambientalista recional. Na minha cabeça temos muito mais a aprender com os mistérios da natureza do que com as idiotices de bilhões de gentes. Gente, a gente ja conhece faz tempo e sabe de todas as besteiras de que são capazes. Para que botar mais gente no mundo? A superpopulação vai inviabilizar a vida no mundo, pelo menos a vida que eu considero ainda razoavelmente agradavel, como a vida de hoje. Bilhões de pessoas a mais significa milhões de carros a mais, bilhões de toneladas de comida a mais, trilhões de litros de água a mais, enfim, estou falando sobre assunto suficientemente conhecido para ser repisado insistentemente. O erro do ambientalista é o mesmo erro do zagueiro de só começar a se preocupar com o atacante quando ele passa pela turma do meio de campo.
A culpa não é do fazendeiro (sim, ei, em termos, relativizemos) mas sim das pressões por alimentos que aumentarão barbaramente, incontrolavelmente,se os governos continuarem com barganha voto versus planeta. Lembrem-se da coisa mais detestável de todo político de qualquer lugar do mundo: eles querem que o mundo se exploda, desde que consigam uma reeleição.

Anonymous said...

Resumindo um post anterior, o
Sol tem razão: "os ambientalistas parecem não ter uma opinião muito positiva sobre a propria espécie."
É isso mesmo. E quem deveria ter? Matamos milhares de outras espécies e centenas de etnias - mais de 500, só no Brasil - pegamos talvez o lugar mais bonito do mundo e transformamos nesta cloaca de cidade chamada Rio de Janeiro (a gente mora no melhor da cloaca, rapazes, tentem morar na Maré) transformamos ar puro em fedentina, água pura em dejetos (aluguem um barco e dêem uma voltinha pela baía de Guanabara ou pelas lagoas defronte aos condomínios da Barra)e em troca demos o que? Gente que mata por cinco reais, e que vota em gente que rouba remédio de hospital,
que rouba aposentadoria de velhinho, que estupra filha de 5 anos, não vamos transformar esse excelente blog soleniano em muro das lamentações. Mas vamos ter a visão de perceber que na prestação de contas do mundo a gente está devendo um caminhão de dinheiro - e vai roubar o caminhão.

Anonymous said...

Complementando o posto do anônimo, basta lembrar que o político mais poderoso da Terra anda com uma pasta onde estão os botões, chaves e códigos para dar início a uma guerra nuclear. Só isso. Acabar com o mundo.

Anonymous said...

Oi foi a 3ª vez que encontrei o teu espaço online e gostei tanto!Espectacular Trabalho!
Cumps

Anonymous said...

Falei para minha amiga Berenice que seria crucificado devido ao meu post anti-gente e pro-ambiente, mas até agora não rolou nenhuma bomba pelo correio o que prova que apenas pessoas civilizadas frequentam este blog - coisa que há havia percebido - ou então que os Correios deram uma caída - coisa que eu também já havia percebido.

sol-moras-segabinaze said...

Vou responder ainda, peraí.

Anonymous said...

Meu pensamento é que o homem vira a primeira prioridade do homem ao defender o meio ambiente. Ninguém vai querer que um filho viva num planeta ferrado. Ou que tudo se transforme num gigantesco Brasil, O Filme. Na Amazonia existem 300 espécies vivendo num hectare. Aí vai um débil mental com dois tratores e uma corrente e derruba tudo. Pra plantar soja. Que vai virar ração de cachorro. E enriquecer apenas o desmatador. Nessa brincadeira, está matando a Eschariatus Vironillas, uma planta da família das begoniáceas que é indutora das ações anti-câncer do próprio organismo - e que ainda não foi descoberta pela ciência. Certamente bem melhor do que um fazendeiro imbecil que só pensa em botar fogo na mata para ganhar dinheiro ilicitamente, mas que é cabo eleitoral regional de um desses grandes homens do nosso país, como o Jader Barbalho.

Transeunte said...

Tudo bem Sol, tranqüilo.
=]

sol-moras-segabinaze said...

Vou te responder, Fred, calma aí.

Anonymous said...

Não sou o Transeunte não, rapá!

sol-moras-segabinaze said...

haha