Tuesday, September 11, 2012

"Mania de ser diferente"

Anos atrás, conversando no telefone com uma tia muito querida, falei algo que agora não lembro e ela respondeu: "Ah, Sol, mas que mania você tem de ser diferente!" Dei risada, é claro que eu sou diferente, todo mundo é diferente, não é óbvio? Mesmo entre os homens-massa de Ortega Y Gasset, os boobus americanus de Mencken e os freqüentadores de micareta do Brasil, há uma diversidade que generalização nenhuma - por mais genial que seja - é capaz de abarcar. Alguém pode ser uma nulidade intelectual e uma sumidade esportiva, um dínamo social e um fracasso profissional, um fenômeno artístico e um desastre automobilístico, as possibilidades e circunstâncias são infinitas. Por que eu digo isso? Porque por mais que os governos do mundo (e do Brasil em particular) façam campanha e propaganda da "diversidade", o que eles promovem - na realidade - é a uniformização, a padronização e o conformismo. Se todas as pessoas são diferentes, por que existe um currículo único imposto a todos pelo MEC? Por que todas as crianças são obrigadas a freqüentar esses centros de doutrinação estatal com seus hinos e diplomas necessários pra se exercer qualquer atividade profissional? Se o objetivo fosse realmente estimular a "diversidade", não faria mais sentido se livrar de todos esses controles e promover - de fato - a liberdade?  

3 comments:

João said...

No meu caso, tenho fama de ser "do contra". Um do casos atuais é não me encantar com Marcelo Freixo hehe

Aliás, como tu já devendo um novo post (duas semanas já hehe), esse fenômeno crente que é a tal "primavera carioca" (que bobagem...) merece uma atualização.

Abs

sol-moras-segabinaze said...

Boa. Ab

Anonymous said...

Freixo? Quem é esse cara?