Tuesday, January 31, 2012

Political views: PT

Eu nem queria escrever sobre esse assunto lotado de emocionalismo, mas esse texto do Paulo Halm que circulou pelo Facebook foi demais pra se ignorar. "Se cubano fosse, Pedro Rios Leão estaria hoje na capa de O Globo e seria chamado de mártir da liberdade pelos Mervais e Leitões da vida." Se estivesse em Cuba e protestasse contra o governo, o Pedro Rios Leão não teria se prendido voluntariamente na rua, estaria preso involuntariamente na prisão. "Seria matéria de destaque no Jornal Nacional, provocando lágrimas de solidariedade da Patrícia Poeta." Por que petistas como o Paulo Halm têm tanta raiva da Globo? De onde eu vejo, a Globo tragicamente apóia boa parte das políticas do governo do PT - inclusive o dinheiro público que cineastas como o Paulo Halm recebem a fundo perdido - mas petistas como ele não vão sossegar enquanto não conseguirem a unanimidade sob a mira de uma arma que os Castro ainda hoje usufruem em Cuba. "No Jornal da Globo, Wiilian Waack e Arnaldo Jabor, uníssonos, o chamariam de herói e até mesmo Pedro Bial arrumaria um espaço no BBB pra fazer um poeminha em homenagem ao guerreiro." O que uma população inteira proibida de sair de seu país pelo governo tem a ver com o protesto de um indivíduo que se prende voluntariamente em frente a uma emissora de televisão? "Mas desafortunadamente o garoto não é cubano." Não, sorte dele. "Pedro Rios Leão é brasileiro e está fazendo greve de fome em frente a TV Globo em protesto contra a cobertura do massacre da população pobre de Pinheirinho pela polícia militar de São Paulo." Um inocente útil numa disputa com 1 - os adversários dos petistas em São Paulo e 2 - a liberdade de expressão que os petistas tentam há anos revogar mirando na maior emissora do país. O "massacre" de Pinheirinho, que eu saiba, não matou ninguém. 100 mil pessoas já morreram nas mãos da ditadura cubana, mas que ninguém espere lágrimas do Halm ou da Dilma por esses mortos, eles não têm o pedigree "certo". "Seu protesto é e será solenemente ignorado." Não está sendo não, é só o que eu vejo aqui na minha timeline, os petistas usam muito as redes sociais imperialistas. "Como diria aquela velha canção, "a dor da gente não sai no jornal", muito menos na TV." O sentimentalismo desse pessoal é seletivo e depende de quem está disputando o poder. Se for um adversário, pau nele. Se for um aliado, toda a solidariedade. 

38 comments:

Berê said...

Pois é, Dona Dilma não quer nem saber dos dissidentes de Fidel...

Vitor Dornelles said...

Obrigado pelo texto, Sol. É bom ler um pouco de sensatez de vez em quando.

Raphael Moras de Vasconcellos said...

O garoto bacana zona sul deixa sua casa abarrotada de mantimentos para EXIGIR que a Globo trate de algum assunto.

Eh um simulacro playba do que realmente acontece em Cuba dentro de celas putridas, ha decadas.

Eh nojento de tao ingenuamente profundo.

Omettal said...

Sinceramente não consigo compreender as
pessoas que vem à público tentar distorcer os
fatos quando estes são concretos. Lendo esse
texto ( muito pobre por sinal ), me choca
saber que existem pessoas que defendem a
Globo. Basta perder alguns minutos para
saber que o protesto do corajoso amigo
Pedro transcende o âmbito político. Basta ler
o que ele escreveu para saber que para elel
tanto o PT quanto o PSDB vilipendiaram a
moral e os direitos do cidadão brasileiro
durante o massacre de Pinheirinho. Um atuou
de forma covardemente passiva enquando o
outro foi ferozmente covarde na forma ativa.
Basta o cidadão ter o mínimo de inteligência
para ver as provas amplamente divulgadas
pela mídia alternativa na ação truculenta da
PM paulista. O mentecapto chega ao cúmulo
de dizer que se não foi divulgada nenhuma
morte, então não houve. Ora, o protesto do
Pedro está baseado justamente no silêncio da
grande mídia - que tem como líder a impávida
Rede Globo. Inúmeros depoimentos,
inúmeras imagens mostram até para cego ver
o quão o governo paulista foi arbitrário e
violador dos direitos humanos. Nas palavras
de Pedro, a Globo é um dos últimos focos de
resistência desse câncer que são os
reacionários no Brasil. O que ele está fazendo
é emblemático e está chamando a atenção
para um fato que tanto a grande imprensa
quanto os grandes especuladores
corruptores queriam abafar. Um homem só.
No mínimo o autor desse ridículo texto
deveria ter respeito com a coragem de
alguém que não se conformou em ficar
calado diante de tamanha atrocidade. Não se
trata de guerra política. Trata-se de valores
humanos que foram solenemente ignorados
durante o Crime Estatal De Pinheirinho. Vale
salientar que o Pedro não ficou com a bunda
atrá de uma tela de computador aventando
conflitos partidários. Ele se levantou, pegou
alguns equipamentos e foi lá pra região do
conflito registrar e denunciar a ação
criminosa dos governos. O que o Halm fez foi
brilhantemente eficaz: fazer uma analogia
entre o ódio e pavor que a Globo e os grupos
reacionários tem contra Cuba e a omissão
midiática por consequencia. Mas acho que
tanto para o infeliz que tentou diminuir a
ação de protesto do Pedro e os que fazem
côro com ele seguem a risca aquela máxima
jornalística: " se não deu na Globo é porque
não aconteceu. "

João said...

No meu jornal, esse babaca foi solenemente ignorado. E esse "paulo halm" será também. Cresce o nariz de quem protesta contra um "massacre" que não houve (uma das "mortas" deu até entrvista pro tio Rei, e sem psicografia...).

João said...

Agora, descubro que esse paulo halm é roteirista de cinema. Ou seja, vive de dinheiro dos impostos pagos à revelia e que pesam muito mais no bolsos dos mais pobres - que não vão ver os filmes dele.

Se ele não gosta da Globo, pode ler as próprias palavras da própria presidentA e, assim, ver quem é que, de fato, ignora solenemente, os protestos de presos por "crimes" de fazer oposição

A maior diferença acho que você não comentou: o tal leãozinho se jogou no chão em frente à emissora porque quis, né? Ele não está preso. O roteirista covarde equipara presos políticos a um indivíduo livre - preso, só por sua cabeça idiota a ideias idiotas.

Bom ver que Vitor Dornelles, meu amigo e futuro pai, também lê esse blog. Ainda há vida inteligente no Brasil.

João said...

O cara que chama o texto do Sol de pobre escreve "vem à público".

Vejo que, se pudesse, ele extriparia esse "câncer que são os reacionários no Brasi". Em Cuba, conseguiram; mandaram os "reacionários" (aqueles que não concordavam com a ditadura) pro paredón e deixaram outros tantos se afogar tentando fugir da ditadura da qual tinham ódio e pavor. São 100 mil mortos, mas crime estatal quem cometeu foi o governo paulista, no "massacre" em que ninguém morreu.

Ou, OK, onde estão, então, "as provas amplamente divulgadas pela mídia alternativa"?
Acharam os corpos?

Omettal said...

Não consegui definir ainda se as pessoas que ignoram as denúncias de abusos e violações da polícia paulista são ingênuas por natureza ou se estão agindo de pura má-fé. Em qualquer situção, onde pessoas buscam os meios midiáticos como último recurso para serem ouvidas, uma investigação tem que ser iniciada. Não estamos falando apenas de suposições de um pequeno grupo. Estamos tratando de dezenas de famílias desesperadas, que não podendo recorrer à polícia, buscam quem pode, ao menos, registrar o ocorrido. Será possível que ninguém aqui viu de que maneira a PM agiu? Será que não sabem o que é o You Tube? Será que ninguém viu a PM paulista expulsando a Polícia Federal baixo uma saraivada de balas? Será que ninguém viu uma autoridade do Governo Federal ser baleada? Será que ninguém viu os depoimentos das pessoas que estavas dispersadas em Pinheirinho acusando a PM de estar fazendo um cerco ao hospital da cidade, impedindo a entrada de jornalistas? Será que niguém viu depoimentos amendrontados de mulheres e crianças afirmando que a PM estava reitando ( sequestrando ) os feridos de dentro do hospital?
O trabalho jornalístico não se resume apenas em ficar atrás da tela do computador perguntando então aonde estão os corpos. O bom jornalista vai ao local, investiga e toma entrevistas. Se antecipa a polícia. De mais a mais, não posso aceitar que um sujeito escreva num blog tamanhos disparates, tentando politizar a ação de um cara que não se conformou com esse assédio moral e humano e resolveu jogar no ventilador. A repercussão está cada dia maior. Tomara que ele aguente até domingo. Eu estou indo lá quase que diariamente e posso afiançar que a disposição do nobre Pedro está em alta. Estamos falando aqui da omissão de um veículo informativo que domina o mercado. Fujam um pouco de suas temeridades e disputas políticas e atentem para o que realmente importa. Estamos tratando de vidas humanas. Estamos tratando do pacto federativo que foi rompido. Estamos falando de nosso futuro. Esqueçam Cuba. Olhem para nosso quintal repleto de mato e cobras venenosas.
A menos que eu esteja discutindo com os próprios omissos e reacionários, mantenho minha revolta nesse blog.
P.S.: quer me desculpar se no meu primeiro comentário ofendi o autor do texto. Não foi minha intenção e retiro as palavras de baixo calão. Obrigado.

João said...

Ingênuo é quem acredita em qualquer "denúncia" sem provas; de má-fé, quem publica qualquer denúncia que lhe interessa, mesmo sem provas (ou pede para que esqueçam uma ditadura cinquentenária que já provocou 100mil mortes - documentadas). Foi o que fizeram os que falaram em "mortes" que não houve em São José dos Campos.

O bom jornalista sabe é que não pode noticiar "mortes" sem que haja os corpos, nem em desaparecimento sem que haja reclamação por parte da família - não houve uma coisa nem outra.

sol-moras-segabinaze said...

Agitprop.

Prof. Raimundo said...

Omettal, você está invertendo as coisas. Primeiro porque o texto do Sol não diz que você não não houve violência em Pinheirinhos, embora certamente não houve um massacre (procure um dicionário), nem disse que não se pode exigir que a imprensa cubra um ou outro evento. O texto do Sol é uma resposta a outro artigo. Quando você diz "Esqueçam Cuba", parece que foi o Sol que fez este paralelo. Foi o autor petista que começou, o Sol respondeu à baboseira, e você misturou as coisas.

Não há disparates no texto do Sol, mas você, como pode perceber, cometeu alguns em poucas linhas do seu comentário. E não há como o Sol ter se referido a intenções de politização do seu amigo, quando ele fala justamente em inocente útil (procure o dicionário de novo).

Se tiver boa vontade, além dos dicionário, releia o texto, e talvez você consiga entender finalmente o conteúdo.

João said...

O bom jornalista também sabe que só pode noticiar mortes se houver confirmação (ou seja, corpos) e desaparecimento com reclamação da família (que não houve; a "denúncia" mentirosa foi de militantes). Ele apura o que vai noticicar, como fez Reinaldo Azevedo que localizou os "mortos"... vivos (!) e até entrevistou um deles. Curioso morto dar entrevista, não?


http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/veja-onde-estao-os-mortos-do-pinheirinho-ou-canalha-esquerdopata-institui-a-prova-negativa-coisa-tipica-das-tiranias-que-eles-admiram

1) O Menino Matheus da Silva - Está internado no Hospital Municipal de São José dos Campos. Teve uma crise de apendicite e foi operado no dia 26 de janeiro.

2) Gilmara Costa do Espírito Santos, marido e filho - A família está hospedada, sã e salva, em casa de parentes, no bairro Satélite.

3) Pedro Ivo Teles dos Santos - Ainda não foi localizado, mas a Prefeitura e Polícia têm em mãos uma entrevista concedida por ele ao jornal “O Vale” depois da desocupação do Pinheirinho. Como morto não fala…

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/aqui-o-audio-de-minha-conversa-com-uma-%E2%80%9Cmorta%E2%80%9D-e-o-maior-furo-da-historia-do-jornalismo

Ele também mostrou a autoridade do governo federal após ser "baleada" - segurando uma bala rindo e sem nenhum ferimento, porque não foi baleada coisa nenhuma. Por isso, não registrou a ocorrência, o que a obrigaria a afzer exame de corpo de delito - o que desmentiria.

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/por-que-o-assessor-de-gilberto-carvalho-tem-essa-estrovenga-na-mao-e-exibe-esse-ar-de-perversa-satisfacao

Omisso (ne malhor das hipóteses) é quem não apura e sai disseminando mentiras a favor de militantes.

João said...

Mandei um outro comentário.

Não chegou?

sol-moras-segabinaze said...

Verdade, Professor Raimundo (muita honra tê-lo por aqui), um dicionário faz falta nessas horas, mas perceba que toda a demagogia socialista se sustenta justamente na confusão ou aproximação dos conceitos com a intenção de causar uma reação emocional, a verdade é só um detalhe que pode ou não ser evocado dependendo das circunstâncias da disputa de poder do momento.

Vou tentar escrever um texto sobre o pós-modernismo (a saída "intelectual" que a esquerda encontrou pra não encarar as falhas da sua teoria) pra evidenciar melhor isso.

João said...

Chegou hehe

Dois adendos: 1) também é omisso (na melhor das hipóteses) quem esquece uma ditadura de 52 anos e 100 mil mortos.

2) Não sei se o Sol diz isso, mas, de fato, não se pode exigir que a imprensa cubra um ou outro evento, a não ser em ditaduras, que não só impedem a imprensa de cobrir determinados eventos como ordenam que cubra outros - aqueles que interessam aos ditadores, e da forma que interessa aos ditadores. Basta ler o granma.cu para ver.

sol-moras-segabinaze said...

"Esqueça Cuba."

Como se pode esquecer de um lugar QUE A MAIORIA DAS PESSOAS DO SEU CÍRCULO SOCIAL AINDA DEFENDE onde só é permitido o jornal do governo? Me diga, como ignorar isso?

João said...

A maioria? Cacildis...
Já teve gente (digamos assim) que me excluiu de seu círculo social porque eu não admitia nem dava trégua a coisas como essa.
Eu dei graça a deus (mesmo sendo ateu) hhehe

sol-moras-segabinaze said...

Esquerda festiva carioca.

João said...

Sei qualé. Parafraseando e adaptando o Pondé dessa segunda, filhos de famílias ricas, fãs de desintelectuais tipo Slavoj Zizek, que "ocupam" a Cinelândia em vez de acampar em Sana e clamam, em coro, por um mundo melhor possível, sem o individualismo burguês neoliberal, enquanto bebem cerveja belga no Salvação ou no cabidinho com o dinheiro dos pais.

sol-moras-segabinaze said...

Tá ligado, man.

sol-moras-segabinaze said...

Os anti-individualistas de iPod.

Omettal said...

Nada como dar tempo ao tempo mesmo sendo prejudicial, neste caso, para as famílias vitimadas pelo massacre. O brasileiro, no geral, tem um pensamento muito nocivo quando afirma que não adianta nada protestar porque tudo vai continuar como está. Diante da pressão para se fazerem apurações dos crimes denunciados pelas famílias de Pinheirinho, mobilização virtual, manifestos internacionais e a greve de fome do corajoso Pedro Rios Leão, a Rede Globo já vai dando sinais de que não poderia mais manter sua omissão e silêncio neste caso. Ontem, no JN e no O Globo já foram nocitiados os depoimentos das famílias perseguidas, do rapaz que foi covardemente baleado duas vezes e das condições sub-humanas em que se encontram. Antes um advogado havia denunciado que um senhor de 70 anos está desaparecido e há fortíssimos indícios de que uma criança tenha sido morta. E isso é só a ponta do iceberg. O Governo Federal já acusa violações dos direitos humanos na desastrada ação. Denúncias foram mandadas junto à OEA e ONU. A verdade está vindo à tona. Se fôssemos esperar coragem e honra jornalística dos repórteres da grande imprensa, não saberíamos de nada. Foi necessário que um rapaz com um curso de comunicação incompleto denunciasse as atrocidades. Desesperador.
Agora vamos falar de jornalismo. Eu sou filho de um grande jornalista policial " da antiga ". As matérias que ele me mostrava, na época em que os jornalistas não ficavam esperando a versão oficial ou só escutavam o delegado, demontram o quanto essa profissão se tornou aviltada. E eram palavras dele. Quando vocês vem me dizer que o jornalista não pode noticiar um assassinato sem corpo, na verdade estão assumindo um discurso covarde e comodista e medroso. O jornalista de verdade apura os fatos. Vai falar com o papa-defunto da região. Vai beber uma cachaça com o legista, vira amigo do coveiro. O verdadeiro jornalista não fica em seu bloguinho esperando a notícia cair do céu ou minimizando os acontecimentos. O verdadeiro jornalista, tanto escuta o capitão da PM falar que a operação foi um sucesso e que não houve feridos quanto escuta a declaração de uma esposa afirmando que seu marido foi baleado duas vezes mesmo estando dominado. Esse é o verdadeiro jornalista. Ele não fica preso à regras de redação infornatizada com cheirinho de Air Wick de sândalo. Quando vocês me dizem que eu preciso de um dicionário eu digo que vocês precisam de um manual básico de capa dura sobre moral e ética. Querer dar a melhor nomenclatura para o que ocorreu em Pinheirinho é muita palhaçada e uma maneira de desviar o assunto. Não sei aonde vocês se formaram e gostaria que, pelo menos me dissessem quem foram seus professores, para que eu nunca os encontre numa das esquinas da vida. Sinto vergonha de saber que aqui tem um nobre professor que fala tamanhos disparates e tenta transformar um assunto de clamor público em mero detalhe técnico. Meu pai estava muito certo. Vivemos uma era de empobrecimento intelectual e de desvios morais, que, se não forem contornadas logo, se tornará irreverssível. Parabéns aos verdadeiros jornalistas do passado e os jornalistas ( formados ou não ) da mídia alternativa.
P.S: vocês adoram proferírem frases feitas pelo que pude observar. Pois aqui vos digo: todos não passam de uns covardes inúteis que servem de massa de manobra de um fascismo crescente de São Paulo. FARTIG!

sol-moras-segabinaze said...

Omettal, se isso aqui fosse um campeonato de demonstração ostensiva de indignação petista, você seria o campeão.

Você tá com muita raiva no coração, melhor organizar o próprio pensamento antes de sair distribuindo impropérios por aí, isso não é maneira civilizada de se discutir um assunto.

sol-moras-segabinaze said...

"O jornalista de verdade apura os fatos. Vai falar com o papa-defunto da região. Vai beber uma cachaça com o legista, vira amigo do coveiro."

hahaha

sol-moras-segabinaze said...

"Não sei aonde vocês se formaram e gostaria que, pelo menos me dissessem quem foram seus professores, para que eu nunca os encontre numa das esquinas da vida."

Não seja tão duro assim com os professores, a maioria deles é socialista como você, iam rolar altos papos contra o capitalismo e o governo fascista de São Paulo. O Federal não, esse tá no caminho certo.

sol-moras-segabinaze said...

"P.S: vocês adoram proferírem frases feitas pelo que pude observar."

Vocês adoram proferir, Omettal, eu quero ajudar, não fique assumindo má-fé nos outros tão facilmente.

sol-moras-segabinaze said...

"Pois aqui vos digo: todos não passam de uns covardes inúteis que servem de massa de manobra de um fascismo crescente de São Paulo. FARTIG!"

Esse final foi de arrepiar, épico.

Omettal said...

Não estou com raiva no coração. Estou indignado.
Não sou petista. Sou comunista.
Não tenho por princípios ofender outrem. Me levam à isso quando as cabeças de alguns mais parece um côco revestido de titânio.
E..., mais uma vez vou pedir perdão pelas minhas palavras e termos chulos. Mais acho que dessa vez vocês não devem aceitá-lo, mesmo porque, não pretendo deslegitimizá-los.

Omettal said...

Não estou com raiva no coração. Estou indignado.
Não sou petista. Sou comunista.
Não tenho por princípios ofender outrem. Me levam à isso quando as cabeças de alguns mais parece um côco revestido de titânio.
E..., mais uma vez vou pedir perdão pelas minhas palavras e termos chulos. Mais acho que dessa vez vocês não devem aceitá-lo, mesmo porque, não pretendo deslegitimizá-los.

João said...

"não fica preso à regras de redação" A crase mostra que não hehe É quase um "nóis pega o peixe"

Se o papai noticiava assassinato sem prova, é um grande mentiroso.

A notícia do rapaz baleado, David Washington Furtado, nunca foi escondida, como se alega. Saiu no mesmo dia na imprensa tradicional.
http://www.ovale.com.br/regi-o/conflitos-feridos-e-18-presos-1.210422 A "mídia alternativa" (Aos fatos) que alardeava sete mortes agora chama um baleado (não se concluiu em que circunstâncias) de "massacre", em vez de pedir desculpas por ter mentido.

De fato, "jornalista de verdade apura os fatos". Foi o que o Reinaldo Azevedo fez.
Ele mostrou que o "senhor de 70 anos", não está nada desaparecido e que não "há fortíssimos indícios de que uma criança tenha sido morta" coisa nenhuma. Já postei aqui, inclusive, os nomes deles e o link. "Covarde, comodsita e medroso" é repetir a mentira para agradar a galera.

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/veja-onde-estao-os-mortos-do-pinheirinho-ou-canalha-esquerdopata-institui-a-prova-negativa-coisa-tipica-das-tiranias-que-eles-admiram

1) O Menino Matheus da Silva - Está internado no Hospital Municipal de São José dos Campos. Teve uma crise de apendicite e foi operado no dia 26 de janeiro.
(a criança)

2) Gilmara Costa do Espírito Santos, marido e filho - A família está hospedada, sã e salva, em casa de parentes, no bairro Satélite.

3) Pedro Ivo Teles dos Santos - Ainda não foi localizado, mas a Prefeitura e Polícia têm em mãos uma entrevista concedida por ele ao jornal “O Vale” depois da desocupação do Pinheirinho. Como morto não fala…
(o senhor de 70 anos)

O final foi de arrepiar mesmo, até porque covarde é quem pede que se esqueça e deixe em paz um governo ditatorial que aprisiona quem faz um bloguinho que não lhe convém e é responsável por 100 mil mortes.

Sol, será que o governo federal acusou violações dos direitos humanos na desastrada ação da polícia da Bahia (cujo governo é do pt) que deixou uma cozinheira cega de um olho? Vejo que não...
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/na-bahia-dilma-nao-chamou-de-barbarie-cozinheira-que-ficou-cega-de-um-olho-em-acao-da-pm-preferiu-criticar-governos-passados/

João said...

"Sou comunista"

Percebe-se a moral. Um baleado é "massacre", mas 100 milhões de mortos são apenas um detalhe que deve ser esquecido.

Leu o que te passei no link, Sol?

Omettal said...

Mais uma vez a capacidade de entendimento de vocês está parada no engarrafamento intelectual da Veja.
Meu pai não publicava notícias sem provas. Pelo contrário, as matérias eram aproveitadas pela polícia para resolver os casos. Era uma época em que existia furo jornalístico. O repórter corria atrás do fato, investigava, descobria a verdade e publicava. Não ficava esperando sair primeiro no Jornal Nacional. Não tinham medo de trabalhar. Eram homens.
Mas agora descobri que aqui o herói de vocês parece ser o Reinaldo Azevedo. Putz, como não enxerguei isso antes?! Tomar como exemplo esse reacionário, fascista e recalcado escrevinhador da apátrida Veja é ser muito limitado intelectualmente mesmo. Acompanhem os fatos.
Quando disse para esquecerem Cuba, não foi para esconderem os problemas que um regime ditatorial encerra. Queria que voltassem a retomar o assunto do rapaz em greve de fome e sua revolta contra a omissão da mídia grande perante as denúncias feitas pelas famílias desocupadas.
Ainda sobre a Veja e Reinaldo Azevedo só posso dizer que se a maioria da população brasileira tomasse como base o que sai publicado por eles estaríamos comendo excrementos com azeite de oliva no café da manhã. Reinaldo Azevedo? Veja? Nossa, achei que havia vida pensante por aqui!
Retiro-me e não precisa abrir a porta. Não tenciono voltar. Tenham uma ensolarada tarde. Talvez ela alumie um pouco seus obscurantismos mentais. Reinaldo Azevedo, ahahahahahahahahahaha........!

sol-moras-segabinaze said...

Você não tem medo de investigar a verdade, Omettal? Se não tem, por que então ainda permanece comunista?

O que faz alguém desafiar com tanta convicção a lógica e as evidências?

Eis um mistério que merece uma investigação séria.

Valéria said...

bom texto Sol. beijos

Vitor Dornelles said...

Há muito tempo não me divertia tanto com comentários num blog. Adorei a saída pela tangente do rapaz comunista quando você falaram de Cuba. Impagável.

Anonymous said...

João diz:

O Reinaldo Azevedo não tem medo de trabalhar. Foi lá e apurou. Ao mostrar que os "desaparecidos" estavam vivos e encontrados e entrevistar uma "morta", deu um furo em todos os federais da "mídia alternativa", que não são homens sequer de assumirem que falaram bobagem.

Os "mortos" do "massacre" estavam vivos, como o Reinaldo demonstrou. Isso não é opinião, é fato:



http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/veja-onde-estao-os-mortos-do-pinheirinho-ou-canalha-esquerdopata-institui-a-prova-negativa-coisa-tipica-das-tiranias-que-eles-admiram

1) O Menino Matheus da Silva - Está internado no Hospital Municipal de São José dos Campos. Teve uma crise de apendicite e foi operado no dia 26 de janeiro.
(a criança)

2) Gilmara Costa do Espírito Santos, marido e filho - A família está hospedada, sã e salva, em casa de parentes, no bairro Satélite.

3) Pedro Ivo Teles dos Santos - Ainda não foi localizado, mas a Prefeitura e Polícia têm em mãos uma entrevista concedida por ele ao jornal “O Vale” depois da desocupação do Pinheirinho. Como morto não fala…
(o senhor de 70 anos)

Fascista é quem, diante da prova, continua falando o contrário, repetindo mil vezes para que passe por verdade.

Como perguntou o Sol, "O que faz alguém desafiar com tanta convicção a lógica e as evidências?" Respondo: covardia.

João said...

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-02-06/agencia-brasil-reconhece-erro-em-noticia-sobre-mortes-no-pinheirinho


"Brasília - A Agência Brasil errou no processo de apuração, edição e publicação da notícia OAB de São José dos Campos diz que houve mortos em operação no Pinheirinho, no dia 23 de janeiro. A notícia foi publicada com base em entrevista concedida à TV Brasil pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São José dos Campos, Aristeu César Pinto Neto. No entanto, não houve a devida checagem da veracidade da informação sobre supostos mortos na operação de reintegração de posse da área conhecida como Pinheirinho."


Olha só, a agência de notícias oficial do Governo Federal foi ao local, tomou entrevistas do cara da OAB - que também é advogado do partido de extrema esquerda que aparelhava a invasão -, como se isso fosse investigar e noticiou mortes... que não aconteceram!

Agora, reconhece que errou, após a verdade vir à tona pela odiada Veja, em particular, pelo "reacionário" Reinaldo Azevedo (para comunistas, a verdade dos fatos que não interesse à revolução é "reacionária"...), que até entrevistou uma das "mortas".

Será que o mimado ainda está se imolando em frente à Globo para que a emissora noticie o que não aconteceu? Tomara, ele merece hehe

João said...

Agora há pouco, no ato pró-greve da PM, vi uma foto de um bundão que, pela cara, dava para ver que não era PM nem bombeiro (sabe aquela cara burra metida a telectual profundo de esquerdista?)


Aí, fui ler o cartaz que o imbecil segurava, tava escrito "Somos todos Pinheiro (como essa gente gosta de uma frase feita, não?), Somos todos bombeiros e policiais"

E ainda falava em Constituição.

Gozado o cara, não? Pois quando os policiais cumpriam ordem judicial para acabar com uma invasão (ilegal), ele era contra.

Quando militares fazem uma greve, logo, indo contra a lei, é a favor.