Thursday, November 25, 2010

O que é o capitalismo? (2)

Não sei se foi Marx quem inventou esse termo, mas foi ele quem certamente o popularizou. Falo em "capitalismo", mas poderia falar em liberalismo, livre-mercadismo, laissez-faire ou libertarianismo, que não são exatamente sinônimos, mas representam mais ou menos a mesma idéia. Segundo Marx, a história do capitalismo se desenvolve através da "luta de classes" entre opressores (burgueses) e oprimidos (proletários), com os burgueses "explorando" os proletários através da "mais-valia" (lucro). Esse esquema mental é muito popular, sendo adotado por aí de maneira consciente ou não, mas não resiste a uma análise lógica simples, por exemplo: uma diarista, dizem os marxistas, é "explorada" pelos seus patrões, que contratam os seus serviços por X reais por dia. Ela concorda em ser "explorada" por esse valor, faz o serviço e recebe então o dinheiro resultado dessa "exploração". Com ele, ela decide comprar mantimentos na quitanda do seu bairro depois de ter feito as unhas numa manicure. Pergunta aos marxistas: a diarista também "explorou" o dono da quitanda e a manicure ao contratar os seus serviços? Não, ninguém "explorou" ninguém no processo, as pessoas trocaram bens e serviços de maneira voluntária baseadas em seus próprios interesses e necessidades. A dona da casa onde a diarista trabalha não tem poder algum sobre ela a não ser nos termos acordados. A diarista presta um serviço e em troca recebe um valor. Não há coerção entre as partes, há uma troca. Quando compra pão, requeijão e refrigerante na quitanda, ela não está "oprimindo" o quitandeiro, eles estão realizando uma troca voluntária em que ambos saem satisfeitos, caso contrário não a realizariam. Não há conflito entre ela e a manicure, há cooperação. Não respondi exatamente o que é o capitalismo, mas esse último raciocínio dá uma boa pista a respeito.

3 comments:

christianrocha said...

Ótimo texto.

Só acho pena ele não funcionar para (ou «em») quem já foi contaminado pelo vírus marxista.

Adianta pouco revelar as (boas) obviedades do capitalismo. O que pode adiantar, IMO, é revelar os efeitos mágicos da frase «você está sendo explorado!» -- os erros estão nos pressupostos. Toda a teoria marxista não passa de perfumaria para encobrir a fedentina militante, que é onde tudo começa.

Anonymous said...

E se a diarista, aproveitando o fato de estar na entressafra de diaristas, cobra da "patroa" 100 dinheiros no lugar dos 75 dinheiros que cobraria não fosse a entressafra, e a "patroa" é obrigada a contratar os serviçøs, mesmo com a faca no pescoço, isso trata-se de uma "exploração" ou recebe o nome de "oportunidade de mercado"? Abs.

sol-moras-segabinaze said...

Se ambas as partes concordam, nenhum problema.